PUBLICIDADE
Topo

Palmeiras

Organizada do Palmeiras protesta, xinga e cobra Galiotte: "Acabou a paz"

Arthur Sandes

Do UOL, em São Paulo

27/07/2019 20h15

Torcedores organizados do Palmeiras protestaram após o empate por 1 a 1 contra o Vasco da Gama, hoje, no Allianz Parque. Membros da Mancha Alviverde se reuniram em um dos portões de acesso ao estacionamento para cobrar o time, reclamar principalmente de Deyverson e Dudu e chamar o presidente Maurício Galiotte de omisso.

"Time de pipoca", "acabou a paz" e "terça-feira virou obrigação" foram os cantos mais ecoados pelos torcedores - este último em referência ao confronto com o Godoy Cruz pela Copa Libertadores. Houve xingamentos a Dudu, chamado de pipoqueiro, e pedido pela saída de Deyverson. A Galiotte restou o selo de "presidente omisso". Ameaça também não faltou: "salário em dia, porrada atrasada".

No momento mais quente, uma garrafa voou em direção aos jornalistas que acompanhavam o protesto. Fora isso, a manifestação se limitou ao lado de fora do estádio; dentro, policiais militares acompanhavam a ação.

Enquanto os torcedores cantavam e gritavam palavras de ordem, dentro do Allianz Parque o Felipão dava entrevista coletiva e falava sobre a insatisfação de parte da torcida. Ainda que líder, o Palmeiras saiu de campo hoje vaiado e chamado de "time de pipoca", manifestações que o técnico disse não ter ouvido.

"Peço desculpa, mas eu não ouvi nada disso quando saí [do gramado]. Pipoca é bom, com sal ou com açúcar. Muito boa", ironizou Felipão. Perguntado se o momento é preocupante pela decisão na Copa Libertadores e o dérbi que se aproximam, o técnico mostrou tranquilidade. "Não preocupa. O que preocupa é o que nós não conseguimos organizar neste momento, uma série de detalhes que não conseguimos implantar. Xingamento e vaias são normais", disse.

Confira os gols de Palmeiras 1 x 1 Vasco:

Palmeiras