Topo

Libertadores - 2019


Marco Ruben perde pênalti no fim, Boca vence e complica Athletico

Bruno Guimarães lamenta durante partida entre Athletico e Boca Juniors - REUTERS/Rodolfo Buhrer
Bruno Guimarães lamenta durante partida entre Athletico e Boca Juniors Imagem: REUTERS/Rodolfo Buhrer

Do UOL, em São Paulo

24/07/2019 23h24

O Boca Juniors saiu na frente contra o Athletico, hoje, nas oitavas de final da Libertadores. O clube argentino segurou os donos da casa na Arena da Baixada e marcou no segundo tempo para vencer por 1 a 0. Mac Allister fez o gol da vitória dos visitantes. Nos acréscimos, Marco Ruben ainda perdeu pênalti para os paranaenses.

As duas equipes voltam a jogar na próxima quarta-feira (31), às 21h30, na Bombonera. O Boca joga pelo empate para avançar às quartas de final.

Quem foi bem: Mac Allister

O jogador do Boca foi regular durante o tempo que ficou em campo. Foi dele o único gol do jogo. Aos 37 do segundo tempo, Mac Allister encheu o pé e contou com desvio antes de estufar as redes. Logo depois de garantir a vitória do Boca, acabou substituído.

Quem foi mal: Marcelo Cirino

REUTERS/Rodolfo Buhrer
Imagem: REUTERS/Rodolfo Buhrer

O ataque todo do Athletico não teve uma noite inspirada. Marcelo Cirino foi um deles. O camisa 10 até criou jogadas de habilidade, mas foi pouco efetivo nas chegadas ao ataque. Ele sofreu com a marcação do Boca e foi substituído faltando 10 minutos para o término do jogo.

O jogo do Athletico

REUTERS/Rodolfo Buhrer
Imagem: REUTERS/Rodolfo Buhrer

O Athletico pareceu um pouco afobado nos primeiros 45 minutos, com muitos passes errados e erros na saída de bola. Os donos da casa chegaram com perigo duas vezes, com dois chutes para fora. Aos 12, Rony bateu rente à trave esquerda de Andrada, enquanto a finalização de Bruno Guimarães triscou o travessão, aos 24.

O segundo tempo começou mais truncado, e o Athletico só chegou aos 18 minutos, em cabeçada para fora de Marco Ruben. Bruno Guimarães exigiu boa defesa de Andrada pouco depois. Os paranaenses apostaram nas bolas aéreas na reta final, mas viram os visitantes marcarem.

Nos acréscimos, Rony sofreu pênalti de Andrada. A arbitragem só marcou a penalidade após assistir ao lance na cabine do VAR, mas Marco Ruben cobrou na trave.

O jogo do Boca

Os argentinos se defenderam bem na primeira etapa, mas não se limitaram a esperar o Athletico. Foram três boas chances de gol antes do intervalo. Santos apareceu duas vezes, uma após jogada ensaiada em cobrança de falta rasteira e outra para pegar chute de Ábila, que aproveitou vacilo de Bruno Guimarães. O centroavante do Boca ainda teve mais uma oportunidade, mas bateu em cima da marcação.

O Boca foi para o segundo tempo mais preocupado em segurar o 0 a 0. O time argentino pouco atacou, prendeu o jogo e viu a pressão dos donos da casa aumentar. Quando parecia que o Athletico estava mais perto de marcar, Mac Allister acertou chute forte e garantiu a vitória dos visitantes.

Clima esquenta no 2º tempo

Depois de poucas divididas no primeiro tempo, a partida esquentou na etapa final. Teve provocação dos argentinos, pancada em Rony e bate-boca entre Ábila e o árbitro uruguaio Daniel Fedorczuk após o atacante do Boca deixar o braço no rosto de Pedro Henrique. Ninguém foi expulso.

FICHA TÉCNICA
ATHLETICO 0 X 1 BOCA JUNIORS

Data e hora: 24 de julho de 2019, às 21h30 (de Brasília)
Local: Arena da Baixada
Árbitro: Daniel Fedorczuk (Uruguai)
Assistentes: Nicolas Taran e Miguel Nievas (ambos do Uruguai)
Cartões amarelos: Bruno Guimarães, Tomás Andrade e Lucho (Athletico); Goltz, Capaldo, Marcone, Ábila e Andrada (Boca)
Gol: Mac Allister, aos 37 do 2º tempo

ATHLETICO: Santos; Jonathan, Pedro Henrique, Léo Pereira e Márcio Azevedo; Bruno Guimarães, Lucho (Tomás Andrade) e Nikão (Bruno Nazário); Marcelo Cirino (Vitinho), Rony e Marco Ruben.
Técnico: Tiago Nunes

BOCA JUNIORS: Andrada; Weigandt, Goltz, Alonso e Más; Marcone, Capaldo e Nández; Zarate (Tevez), Mac Allister (Reynoso) e Ábila (Hurtado).
Técnico: Gustavo Alfaro