Topo

Futebol

Seleção Brasileira feminina


Cristiane diz que dará "chacoalhão" na seleção ao lado de Marta e Formiga

Stuart Franklin - FIFA/FIFA via Getty Images
Imagem: Stuart Franklin - FIFA/FIFA via Getty Images

Ana Carolina Silva

Do UOL, em Itu (SP)

17/05/2019 14h53

A seleção feminina chegará à Copa do Mundo com nove derrotas seguidas, mas Cristiane não entrou em campo nestas partidas. O último jogo da atacante pelo Brasil foi a vitória por 3 a 0 sobre a Colômbia em 22 de abril de 2018, que deu ao time de Vadão o título da Copa América. Convocada para a Copa do Mundo e recuperada das lesões, a veterana falou hoje (17), dois dias depois de completar 34 anos, sobre como pode ajudar a equipe a se reencontrar.

"Principalmente, acho que posso empolgar todo mundo! Nós viemos de derrotas, então é hora de dar aquele chacoalhão. Acho que é preciso, é nossa responsabilidade. As mais velhas jogaram outras Copas [Cristiane e Marta vão para a quinta; Formiga disputará a sétima]. A responsabilidade de dar um chacoalhão no grupo é nossa. Passar confiança para as meninas que estão aqui pela primeira vez e têm nervosismo", afirmou em coletiva realizada em Itu, onde a seleção está concentrada.

O fato de que este Mundial será o último de sua carreira é uma motivação a mais para Cristiane, assim como é para a volante Formiga, que chegou a se aposentar da seleção brasileira em 2016 e voltou ao grupo após conversa com Vadão. Marta ainda não oficializou se vai ou não se despedir da Copa neste ano, mas é certo que esta será a última edição com parceria entre as três atletas que marcaram a história do futebol brasileiro.

"Eu falei com a Fu [apelido de Formiga]: 'Nós vamos enfiar porrada'. Porrada no bom sentido, tá, gente? [risos] Não me interpretem mal. Mas tem de ser assim, é minha última Copa. Talvez seja a última de várias meninas aqui também, porque ninguém se garante na próxima Copa. Então vamos dar o melhor para deixar tudo em campo. Dar carrinho onde não tem de dar, esse tem de ser o espírito. Falei para a Fu: 'Bora, neguinha, é a nossa última e está batendo a água ali'. A gente tem de correr atrás", respondeu.

"É bacana ter a Fu e a Marta aqui comigo. Vai ser gostoso. Como eu falei, minha roupa vai ficar lá no campo. Não sei como vou sair, mas vou fazer o meu melhor. As pessoas criticam e cornetam muito, é natural, mas a gente sempre entra para dar o melhor e vencer", disse a atacante do São Paulo, que agradeceu ao clube por tê-la liberado mais cedo para que pudesse se preparar para a Copa do Mundo.

Lucas Figueiredo/CBF
Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Assim como já havia antecipado ontem em um post no Instagram, no qual disse que muitas pessoas terão "uma pulga atrás da orelha" com o desempenho atual do Brasil, Cristiane não tentou tirar dos torcedores o direito à desconfiança. Mais madura e disposta a ajudar a equipe, a goleadora sabe que uma resposta precisa ser dada para reconquistar a torcida.

"As pessoas sempre ficam na expectativa, então é natural. Infelizmente, as derrotas vieram, mas talvez tenha sido no momento certo. A hora de começar a Copa é a hora de zerar. Como eu falei, é a hora de dar um choque de realidade. Quando é uma Copa, uma Olimpíada, a gente se transforma dentro de campo, coloca o coração lá dentro. Claro, tem algumas coisas para acertar, ninguém é bobo de não ver", falou.

"Mas quando a gente coloca espírito dentro de campo, tem de esquecer o que passou e fazer disso um recomeço. A gente tem de buscar isso: 'Vamos lá, agora é Copa do Mundo, vamos correr atrás, deixa para lá o que já passou'. As pessoas realmente vão ter desconfiança. Você perdeu vários jogos, então não tem como o povo falar: 'Opa, vão levantar a taça'. Mas nós vamos em busca disso. Tem tudo para dar certo, só depende de nós", concluiu.

Em Itu, Cristiane treinou ao lado da volante Formiga, da goleira Aline Reis, da meio-campista Thaisa, da lateral Leticia Santos e das atacantes Bia Zaneratto e Raquel. O restante das convocadas, incluindo Andressa Alves (que disputa amanhã a final da Liga dos Campeões pelo Barcelona) e Marta, ainda não se apresentou. Estiveram presentes as atletas Daiane, Bruna Benites e Rafaelle, que não foram convocadas para o Mundial.

Mais Seleção Brasileira feminina