PUBLICIDADE
Topo

Barça não será eliminado por uso de jogador irregular na Copa do Rei

Juan Brandariz, o "Chumi", em ação pelo Barcelona contra o Levante - Quality Sport Images/Getty Images
Juan Brandariz, o 'Chumi', em ação pelo Barcelona contra o Levante Imagem: Quality Sport Images/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

17/04/2019 14h23

A juíza Cármen Pérez, responsável pela Real Federação Espanhola de Futebol (RFEF), arquivou na tarde de hoje procedimento contra o Barcelona, pelo uso irregular do jogador Juan Brandáriz, conhecido como Chumi, em partida das oitavas de final da Copa do Rei, ocorrida em 17 de janeiro de 2019. Na ocasião os catalães bateram o Levante por 3 a 0, em jogo de volta da competição, eliminando o time de Valência, após terem perdido por 2 a 1, fora de casa.

O zagueiro de 20 anos não poderia ter entrado em campo nesse confronto, pois cumpria suspensão por conta de cartão que levou atuando na temporada anterior, pelo Barcelona B.

Ainda em janeiro, após quatro dias da partida, o Levante denunciou o Barça pedindo a eliminação da equipe. Mas o recurso foi negado, após o RFEF decidir que foi feito fora do prazo. Apesar da invalidação da queixa, Cármen reconheceu que Chumi foi usado de maneira irregular.

A juíza considerou que ''de acordo com as normas vigentes da RFEF, a denúncia apresentada pelo Levante às 9h33, do dia 21 de janeiro, foi recebida fora do prazo estabelecido''. Segundo Pérez, a denúncia deveria ter sido apresentada até 48 horas após o jogo em que o Barcelona escalou Chumi inapropriadamente.

Dessa forma, a equipe catalã continuará na competição, podendo participar da final contra o Valencia, que acontecerá no dia 25 de maio, no estádio Benito Villamarín.

Apesar de não sofrer sanção esportiva, será analisado se o Barça deverá pagar multa, que servirá como indenização econômica a equipe eliminada. O Levante poderá recorrer ao comitê de apelação da RFEF.

Esporte