PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Atacante alvo de racismo dá vitória à Juventus que pode valer o título

Do UOL, em São Paulo

06/04/2019 14h55

A Juventus chegou a mais uma vitória no Campeonato Italiano. Diante de um Milan sem Lucas Paquetá, a equipe de Massimiliano Allegri ganhou por 2 a 1 de virada na tarde de hoje (6) graças a Kean, atleta que sofreu racismo durante a semana. Piatek abriu o placar, enquanto Dybala, de pênalti, e Kean, no fim do segundo tempo, viraram a partida da 31ª rodada do torneio, que pode valer o título para a Juve.

Com o triunfo, a Juventus pode chegar a mais um título do Italiano ainda nesta rodada. Isso porque, com 84 pontos ganhos na liderança, a Velha Senhora não seria mais ultrapassada caso o Napoli, com 63 pontos na segunda colocação, perca amanhã (7) para o Genoa. Um empate adiaria a conquista.

Se o Milan não tinha Paquetá, que torceu o tornozelo e ficará de 20 a 30 dias se recuperando, o time de Allegri não contou com Cristiano Ronaldo, em recuperação de lesão na coxa para poder atuar na Liga dos Campeões no meio da próxima semana.

O melhor: Piatek dá trabalho aos defensores

Piatek foi o melhor do jogo de hoje. Mesmo isolado na frente, foi a principal arma do Milan durante o confronto, já que ganhava quase todas e fazia a zaga da Juventus se desdobrar para pará-lo. Além disso, mostrou o oportunismo habitual para abrir o placar.

O pior: Bonucci "entrega" e vai mal

O zagueiro experiente, que se envolveu numa polêmica ao dar uma declaração infeliz durante a semana, "entregou" a bola de bandeja no gol de Piatek. Ao tentar sair jogando com o volante, deu passe fraco, o que facilitou Bakayoko na hora de roubar e tocar para o polonês.

Milan começa melhor e quase abre o placar

A equipe de Gattuso começou ligada e melhor que os donos da casa. Em um contra-ataque logo no primeiro minuto, Suso recebeu pela esquerda e cruzou na medida para Piatek, mas o atacante cabeceou mal e a bola saiu ao lado do gol.

Já com ações mais equilibradas, os visitantes tiveram outra chance, agora aos 29 minutos: Suso rolou para Kessié na entrada da área, que chutou fraco e desperdiçou.

Pênalti? Árbitro demora para checar e não marca

Calhanoglu tentou alçar bola na área, mas o cruzamento foi interceptado por Alex Sandro, que deu um carrinho. Avisado pelo VAR de um possível toque de mão do brasileiro, o árbitro Michael Fabbri demorou para tomar a decisão. Primeiro, esperou a opinião da sala de vídeo. Na sequência, ele próprio foi checar e, quase quatro minutos, assinalou apenas escanteio.

Milan não se abala e sai na frente com Piatek

Piatek comemora seu gol durante Juventus x Milan neste sábado - Isabella Bonotto/AFP - Isabella Bonotto/AFP
Imagem: Isabella Bonotto/AFP

Apesar de "sair perdendo" no lance polêmico de Calhanoglu e Alex Sandro, o time rossonero não se abalou e fez por merecer o gol que abriu o placar. Em uma verdadeira blitz do time de Gattuso, Bakayoko foi esperto, roubou a bola e acionou Piatek. O polonês tocou na saída do goleiro e comemorou muito o tento.

Que é isso? Mandzukic quase empata com golaço

A Juventus se lançou ao ataque e por pouco não empatou com um golaço. Khedira pegou a sobra de um cruzamento e tocou no alto para Mandzukic. O atacante, então, não pensou duas vezes: emendou um voleio, quase uma bicicleta, e viu Reina fazer grande defesa.

Milan "se vira" bem sem Paquetá

Sem o brasileiro Lucas Paquetá, lesionado, o Milan se virou bem com Bakayoko, Kessié e Calhanoglu no primeiro tempo. O trio foi bastante combativo e anulou as ações de ataque da Juventus, que ameaçou o gol de Reina por meio de bolas alçadas na área. Em um momento de forte marcação rossonera na saída de bola da Juve, o camisa 14 antecipou-se ao adversário e deixou Piatek livre para marcar.

Dybala empata de pênalti

Dybala comemora gol contra o Milan - ISABELLA BONOTTO/AFP - ISABELLA BONOTTO/AFP
Imagem: ISABELLA BONOTTO/AFP

O argentino recebeu lançamento de Bonucci e foi derrubado na área por Musacchio, que recebeu cartão amarelo. Na cobrança, ele próprio foi para a bola e igualou o marcador. Reina pulou para o seu lado esquerdo, mas o camisa 10 chutou forte no meio. Com 20 minutos da etapa final, ele deu lugar a Kean e, saindo de cara brava, não escondeu a insatisfação por ser substituído.

Juve se empolga e pressiona

O tento de Dybala empolgou torcida e jogadores em campo. Nos dez minutos seguintes ao pênalti convertido pelo argentino, foram pelo menos duas chances de virar. Em uma delas, Bentancur recebeu na área, chutou e foi bloqueado. A bola ainda ficou viva, mas a zaga visitante conseguiu afastar.

Kean faz o da virada

Pjanic aproveitou vacilo da zaga do Milan e encontrou Kean. O atleta, que foi alvo de racismo durante a semana, bateu cruzado e virou para os donos da casa. Com a vitória graças a seu gol, a Juve pode ser campeã ainda no fim da rodada.

Ficha técnica

Juventus 2 x 1 Milan

Data: 6 de abril de 2019, sábado
Horário: 13h00 (de Brasília)
Local: Estádio da Juventus, em Turim (Itália)
Árbitro: Michael Fabbri
Cartões amarelos: Mandzukic (Juventus); Musacchio (Milan);

Gols: Piatek, aos 38 minutos do primeiro tempo; Dybala, aos 14', e Kean, aos 38 minutos da etapa final.

Juventus: Szczesny; Daniele Rugani, Bonucci e Alex Sandro; De Sciglio, Bentancur, Emre Can (Khedira), Bernardeschi e Spinazzola (Pjanic); Dybala (Kean) e Mandzukic. Técnico: Massimiliano Allegri.

Milan: José Reina; Calabria (Cutrone), Mateo Musacchio, Romagnoli e Ricardo Rodríguez; Bakayoko, Kessié e Calhanoglu; Fabio Borini, Piatek e Suso (Castillejo). Técnico: Gennaro Gattuso.

Esporte