PUBLICIDADE
Topo

Grêmio

Renato chama coletiva para acalmar torcida e afasta Luan para "recuperação"

Do UOL, em Porto Alegre

05/04/2019 17h49

Renato Gaúcho surpreendeu. No meio da tarde de hoje, convocou uma coletiva que não estava previamente marcada e levantou uma série de dúvidas no Grêmio. Mas com o microfone, o técnico recuperou o conhecido bom humor, disse que estava com "saudade" da imprensa e que queria acalmar a torcida. Por outro lado, confirmou afastamento de Luan para passar por um processo de "recuperação".

"Sobre os jogadores criticados, o Luan, eu e minha comissão temos uma parcela de culpa. Porque o Luan ficou muito tempo parado (em razão de uma fascite plantar) no ano passado, ele é muito fominha, encheu o saco para voltar a jogar e ainda não estava preparado, tinha que fazer trabalho físico. Hoje eu falei com ele, queremos ele de volta com o futebol maravilhoso dele, que chegou à seleção, o melhor jogador da América, que nos ajudou muito. Ele precisa recuperar a forma física, por isso que vai fazer trabalhos especiais. Não adianta perguntar o tempo, vai depender do trabalho dele. Quando eu achar que ele estiver bem, vai jogar, pode demorar um, dois, três jogos", disse Portaluppi.

Luan foi exatamente o jogador mais criticado na derrota por 1 a 0 para o Universidad Católica, ontem. A reportagem do UOL Esporte já mostrou que o técnico e o jogador não estavam falando a mesma língua, agora ocorre o afastamento por motivos físicos.

Sobre sua sequência no comando do time, Renato mostrou tranquilidade. Disse que em momento algum pensou em deixar o Grêmio, ainda mais neste momento.

"Eu vou até responder por educação, mas isso nunca passou pela minha cabeça, pedir para sair, todos sabem do que sinto pelo clube, títulos, conquistas que deixam a torcida muito feliz. Se tivesse disputado cinco competições e perdido todas, nem assim eu pediria para ir embora porque não abandono o barco nunca. Até semana passada o Grêmio era o melhor. E da noite para o dia não tem mais nada? Não é assim", disse.

Renato afirmou que sua coletiva tinha por objetivo principal acalmar a torcida, irritada com o rendimento do time.

"Quero falar que eu sei que a equipe ainda não deu, digamos assim, um resultado positivo na Libertadores. Mas confio bastante ainda na classificação, hoje mesmo conversei com o presidente e ele perguntou se faltava alguma coisa, se precisava de alguma coisa. Falei para ele que não, para ficar tranquilo. Temos um presidente muito ativo, que nos dá tranquilidade, e quero passar que o Grêmio não tem uma equipe imbatível, vai ter suas derrotas, como qualquer outra grande equipe, mas o Grêmio ainda está vivo na Libertadores. Só depende de si para chegar à final do Estadual. Não podemos pegar o trabalho e achar que está tudo errado da noite para o dia. Também não está 100% certo. Sabemos que vamos melhorar, temos que melhorar porque representamos o Grêmio. Mas tiramos nosso torcedor de uma fila de muitos anos conquistando títulos importantíssimos. Não é porque não fomos bem que está tudo errado", finalizou.

Na coletiva, Renato claramente tentou recuperar o clima de sorrisos e bom humor de momentos passados. Ao contrário da postura da coletiva após a derrota para o Universidad. Brincou sobre o ar condicionado desligado dizendo que o clube "não tinha pago a conta de luz", reclamou das palavras de um dos jornalistas em tom jocoso e ainda disse que "estava com saudade" da imprensa.

"Senti saudade de vocês (jornalistas) e vim aqui matar essa saudade. Quando eu não venho vocês reclamam, hoje estou aqui. Mas não tem nada para passar para vocês não. Estou de bom humor e podem fazer a primeira pergunta, fiquem à vontade", sorriu. E quando acabou a coletiva, ainda queria mais. "Nenhuma outra pergunta? Estou aqui para atender vocês. Muito obrigado", encerrou.

Grêmio