PUBLICIDADE
Topo

Santos

Motorzinho, Sánchez não perde nenhum jogo e Sampaoli ainda busca reserva

Ivan Storti/Santos FC
Imagem: Ivan Storti/Santos FC

Eder Traskini

Colaboração para o UOL, em Santos

12/03/2019 04h00

Jean Mota e Carlos Sánchez são os únicos dois atletas do Santos que participaram de todas as partidas do ano. No entanto, a situação dos dois é bastante distinta quando diz respeito aos seus reservas imediatos. Enquanto o técnico Jorge Sampaoli conta com pelo menos duas boas opções para a vaga de Jean (Rodrygo e Soteldo), o mesmo não pode ser dito sobre o uruguaio.

Sánchez foi reserva em três jogos neste ano e entrou na segunda etapa em todos eles. Mais do que isso: entrou por necessidade e para resolver a partida. Contra Mirassol e Palmeiras, o uruguaio foi chamado por Sampaoli enquanto o Peixe empatava, já contra o Oeste, Sánchez entrou já após o intervalo, pois o Santos era derrotado pelo clube do interior.

Nos minutos em que não teve Sánchez em campo, o Santos demonstrou dificuldade na criação de jogadas e, via de regra, viu isso melhorar após a entrada do uruguaio. Após ser chamado por Sampaoli, o meia ajudou a mudar a história de pelo menos dois dos três jogos e garantir a vitória sobre o Mirassol e o Oeste.

O treinador santista vem testando jogadores na função primária do uruguaio, uma espécie de meia central que cai pela direita, com mais responsabilidades de criação de jogadas do que defensivas. No entanto, o argentino não teve sucesso até o momento e pior: precisa encontrar uma solução rápido, pois corre o risco de perder Sánchez, pré-convocado para a seleção do Uruguai, para a partida das quartas de final do Campeonato Paulista.

Nos jogos em foi reserva, Sánchez teve dois substitutos diferentes: Cueva e Jean Lucas. O peruano até foi bem diante do Mirassol, sua estreia, mas não será opção nas quartas por também ter sido convocação para sua seleção e nos últimos jogos demonstrou uma reconhecida queda de rendimento.

Jean Lucas, por outro lado, estará à disposição de Sampaoli e é um dos fortes candidatos à vaga. Ele teve boa atuação diante do Palmeiras, mas foi mal contra o Corinthians. O volante demonstra mais poder defensivo e de ligação entre defesa e ataque do que propriamente de construção de jogadas no campo ofensivo.

Ainda no clássico contra o Corinthians, o treinador santista testou o lateral-direito Matheus Ribeiro no setor. Sampaoli pediu ao jogador que atuasse ao lado de Diego Pituca surpreendendo muitos que esperavam que tal função fosse ocupada por Victor Ferraz, enquanto Matheus faria a lateral direita. O jogador até teve boa movimentação, mas também não convenceu nos poucos minutos que teve.

Assim, Sampaoli chega para o seu 16º jogo no comando do Peixe e segue buscando uma alternativa para a vaga e função do uruguaio. O treinador deve utilizar as últimas duas rodadas do Campeonato Paulista para realizar testes. O primeiro compromisso santista está marcado para esta sexta-feira, às 20h30, quando o Peixe recebe o Novorizontino, no Pacaembu.

Santos