PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Atlético-MG espera outro jogo físico e com cara de Libertadores no Uruguai

Bruno Cantini/Atlético-MG
Imagem: Bruno Cantini/Atlético-MG

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

11/03/2019 04h00

Depois que os reservas cumpriram a meta fora de casa e venceram o Patrocinense por 1 a 0, pelo Campeonato Mineiro, o Atlético-MG direciona todo seu foco para a partida desta terça-feira, contra o Nacional, pela Libertadores. Pela terceira vez na competição, o clube vai ao Uruguai, e aguarda o mesmo jogo físico e disputado que teve nas ocasiões anteriores.

Esta será a terceira vez que o Atlético vai a Montevidéu em 2019. Porém, diferente dos confrontos contra os medianos Defensor e Danúbio, o Nacional é um dos grandes do país, dividindo a hegemonia nacional ao lado do Peñarol. Além disso, o Galo vai encarar um adversário fora do pacato estádio Luis Franzini, que recebeu um público baixo nas duas partidas anteriores. O duelo da vez será na casa do Nacional, o estádio Gran Parque Central, com capacidade para 26 mil pessoas.

"Espero alguma coisa parecida com o que fizemos nos dois jogos (no Uruguai). Espero um jogo físico, com cuidados na parte defensiva, na bola aérea. São características de Libertadores. Uma escapada física, uma puxada de contra-ataque, isso vai acontecer lá, com certeza. Paraguaios, uruguaios, argentinos são muito competitivos, sabemos disso", comentou o técnico Levir.

Apesar de ser o segundo compromisso no Grupo E, o Galo já entrará pressionado para o jogo contra o Nacional. Isso acontece porque o time perdeu na estreia da chave dentro do Mineirão para o Cerro Porteño. Um novo revés poderá complicar a situação da equipe. Por isso, Levir espera que o time também esteja preparado psicologicamente para o duelo, que pode ser decidido nos detalhes. O treinador ainda relembrou o jogo anterior, quando o Galo esteve mais perto do gol, mas foi castigado em pleno Mineirão por causa de uma jogada isolada e um gol irregular do Cerro.

"Vai ficar nos detalhes. Vocês viram o último jogo, se jogássemos o que o adversário jogou, seríamos criticados. Eles praticamente não deram um chute ao gol, e o gol marcado foi irregular. Mas ganharam de 1 a 0. Então a gente tem que estar preparado para essas situações também. A competição exige isso, o time tem que ter um alto controle psicológico e acima de tudo uma vontade de vencer acima da média", definiu.

Depois de treinar na tarde de ontem (domingo) na Cidade do Galo, o Atlético já viajou e desembarcou em solo uruguaio. Na tarde de hoje, a equipe fará um último treinamento no estádio Luis Franzini (o mesmo que jogou anteriormente) antes do confronto contra o Nacional. A partida será realizada às 21h30 (de Brasília) desta terça.

Futebol