PUBLICIDADE
Topo

Mineiro - 2019

Reservas vencem com gol nos acréscimos, e Atlético segue líder do Mineiro

Bruno Cantini/Atlético-MG
Imagem: Bruno Cantini/Atlético-MG

Do UOL, em Belo Horizonte

09/03/2019 18h29

Líder do Campeonato Mineiro, o Atlético foi ao interior do estado visitar o Patrocinense e saiu de campo com uma vitória simples, mas importante por 1 a 0. Atuando apenas com os atletas suplentes, a equipe da capital fez um jogo pobre tecnicamente e voltou a apresentar os erros na construção e finalização das jogadas. O gol salvador saiu apenas aos 45 minutos do segundo tempo, com o jovem atacante Alerrandro.

Agora, o Galo soma mais três pontos e vai aos 22. Com isso, a equipe segue sem poder ser ultrapassada pelo América, vice-líder que tem 18 e estava secando o Galo. Com 12 pontos, o Patrocinense pode terminar a rodada até no oitavo lugar.

Jogo fraco e sem emoção dá o tom da primeira etapa

A partida começou animada, com as duas equipes em busca do gol, embora o restante do primeiro tempo tenha sido de muita briga e pouquíssimas emoções. O Atlético foi ligeiramente melhor e carimbou o travessão após contar com a ajuda da zaga adversária, que desviou o escanteio para sua própria meta. A melhor chance do Patrocinense surgiu com Oliveira, que recebeu o cruzamento de Kellyton, dominou sozinho na área, mas finalizou mal.

Galo repete os mesmos problemas do time titular

Assim como tem acontecido com o time titular, o Atlético também careceu de um repertório maior na hora de chegar ao gol. A equipe até passou mais tempo no campo ofensivo, mas as baixas alternativas para atacar geraram poucas finalizações e praticamente nenhuma jogada de mano a mano, nem mesmo com o goleiro Júlio César sentindo fortes dores na costela.

Goleiro sofre pancada e precisa ser substituído

O goleiro Júlio César não conseguiu completar a partida. Pouco antes do intervalo, o camisa 1 foi atendido mais de uma vez por causa de uma pancada que recebeu na costela. Júlio César já era dúvida durante a semana e mal conseguia se abaixar para pegar a bola. O pessimismo mostrado durante a entrevista na saída de campo se confirmou, e o arqueiro foi substituído pelo reserva Cleysson.

Galo volta melhor e inicia pressão pelo gol

Em menos de cinco minutos da etapa final, o Atlético fez o que não conseguiu em todo o primeiro tempo. Hulk chegou com perigo em um chute forte pela esquerda. Pouco depois, Cleysson precisou fazer duas boas defesas no mesmo lance para salvar as finalizações de Terans e Maidana. Aos 12, a boa jogada de Guga com Alerrandro terminou em gol, mas foi corretamente anulado pela arbitragem. Mesmo ainda pecando no último passe, o time da capital dominou completamente o jogo, que virou um ataque contra defesa.

Alerrandro tira Galo do sufoco no apagar das luzes

Depois que o Patrocinense fez sua última alteração e mostrou-se visivelmente cansado, o Atlético teve praticamente 30 minutos pela frente e vários espaços no meio de campo para tentar o gol da vitória. O Patrocinense mal conseguia atacar, mostrava fragilidades para defender e se fechou todo. Mesmo assim, demorou para o Galo marcar. Superior tecnicamente e fisicamente, a equipe só balançou as redes aos 45 minutos do segundo tempo. Nathan fez um belo lançamento para Guga, que só rolou para Alerrandro fuzilar para o gol. 1 a 0 placar final.

PATROCINENSE 0x1 ATLÉTICO

Motivo: 9ª rodada do Mineiro
Data/Hora: 09/03/2019, às 16h30 (de Brasília)
Local: Estádio Pedro Alves de Nascimento, em Patrocínio (MG)
Árbitro: Igor Júnio Benevenuto
Assistentes: Sidimar dos Santos Meurer e Magno Arantes Lyra

GOL: Alerrandro, 45'2ºT (0-1)
Cartões amarelos: Ian, Davi Lopes, Pavani, Dedê (PAT), Matheus Mancini, Vinícius, Renan Guedes (CAM)
Cartão vermelho: Não teve.

Patrocinense: Júlio César (Cleysson - Intervalo); Kellyton, Betão, Juninho e Ian Barreto; Davi Lopes, Arílson, Dedê e Oliveira (Felipe Alves - 7'2ºT); Tony Galeto e Pavani (Lucas Chinaqui - 22'2ºT). Técnico: Rodrigo Fonseca.

Atlético: Cleiton; Guga, Maidana, Matheus Mancini e Hulk (Renan Guedes - 39'2ºT); Zé Welison (Nathan - Intervalo), Adilson; Vinícius (Leandrinho - 39'2ºT), Terans e Chará; Alerrandro. Técnico: Levir Culpi.