PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Crossfiteira aos 62 anos, mãe de meia do Avaí brilha em programa da Globo

Gislaine Castro, praticante de crossfit - Reprodução/Instagram
Gislaine Castro, praticante de crossfit Imagem: Reprodução/Instagram

Gabriel Carneiro

Do UOL, em São Paulo

05/03/2019 04h00

Há quatro anos, o crossfit ainda não era a febre que é hoje. Ainda mais em Volta Redonda, cerca de 130 km distante da capital do Rio de Janeiro. Um dos primeiros locais para a prática do esporte na cidade foi inaugurado pelo professor de educação física Guilherme Castro, que precisava atrair pessoas e mostrar o potencial para mudança de vida do esporte. Ele bolou uma grande aula de demonstração para o primeiro dia e foi atrás de voluntários para participar. Mas a missão era difícil e foi preciso apelar: "Mãe, vamos lá fazer o treino. Pelo menos para fazer um número e não ficar feio na foto." Ela topou. Hoje aos 62 anos, virou inspiração e aparece na TV para falar da nova vida.

Gislaine Castro está no elenco do programa "Tá Brincando", apresentado por Otaviano Costa na Globo. Ela faz parte de um grupo de idosos que desafia pessoas mais jovens em provas de força e agilidade. Foi descoberta pela produção do programa durante um campeonato latino-americano de crossfit - do qual saiu vencedora - e começou as gravações: "Eu comecei na vida esportiva por acaso e fui parar no programa por acaso também". O orgulho pelas lições de superação é sentido em casa. Além de Guilherme, de 34 anos, ela também é mãe de Pedro, de 25. O caçula é jogador profissional de futebol, revelado pelo Santos e hoje atleta do Avaí, líder do Campeonato Catarinense.

"Eles chegavam da escola, almoçavam, eu lavava louça, arrumava a cozinha e depois íamos para o quintal bater bola, fazer uma peladinha, um golzinho, embaixadinhas. Foi um longo período assim. Aí o Guilherme cresceu e foi fazer faculdade de Educação Física. O Pedro saiu de casa com 14 anos, parou no Santos e se profissionalizou como jogador de futebol. Está nessa até hoje. Meus filhos sentem orgulho de mim, me apoiam, se emocionam ao falar. Enquanto não ouvi do Otaviano que minha história de vida o emocionava, eu não acreditava nisso", diz Gislaine, ao UOL Esporte.

Gislaine é especialista em exercícios como levantamento olímpico, flexão, agachamento, parada de mão, prancha e pular corda. Ela pratica há quatro anos, de segunda a sexta-feira, por uma hora diária. Treinada pelo próprio filho, participa de campeonatos no Rio de Janeiro e diz que se livrou de uma série de problemas de saúde, como dores na coluna, que antes a faziam ser praticante de pilates. "Em 2017 um cardiologista me disse que há muito tempo não entrava um paciente da minha idade que não saísse sem uma receita médica na mão. É só alegria e satisfação", conta.

Muita gente pensa que quando chegar aos 50, 60 anos a vida acabou. Mas muito pelo contrário, pode estar começando."

Antes do crossfit, trabalho na roça

Gislaine - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Guilherme Castro é coach e dono da Crossfit VR; aqui em aula ao lado dos pais
Imagem: Reprodução/Instagram

No último programa de fevereiro, Gislaine venceu o desafio de um circuito funcional com tempo dez segundos inferior a um homem 40 anos mais jovem e emocionou a plateia e o apresentador Otaviano Costa durante a gravação. A história da vida de mãe de Pedro Castro é tão impactante quanto o fato de ela ser uma mulher de 62 anos competidora de crossfit. Natural de São José do Goiabal, no sudeste de Minas Gerais, cresceu em família humilde ao lado de dez irmãos. A cidade é pequena (em 2017, pouco mais de 5 mil habitantes) e não oferecia muita oportunidade de vida.

"Lá a gente fazia até a oitava série e depois não tinha mais estudo, teria que sair da cidade. Então parei e comecei a trabalhar na roça porque tinha que ajudar meu pai. Era plantação de milho, arroz, feijão, carregamento de lenha, capinar, esse tipo de coisa", diz a ex-boia-fria: "Mulher tem salário mais baixo do que homem e na roça isso é pior ainda. Era uma gratificação, não era pagamento. Davam uns trocados e estava tudo certo. Um dia eu concluí que estava tudo muito pesado para mim e fui embora."

Gislaine foi viver em João Monlevade-MG e começou a trabalhar em uma loja de roupas. Foi nessa época, aos 19 anos, em que emitiu todos os seus documentos para poder ter a carteira de trabalho assinada. Depois trabalhou em um supermercado e uma loja de departamentos. Conheceu Antônio, com quem se casou e mudou para Volta Redonda, no Rio de Janeiro. Teve o primeiro filho. Aos 32 anos, conciliou a vida de dona de casa com as aulas do Ensino Médio. Depois nasceu Pedro Castro, o jogador: "Foi assim que minha vida aconteceu."

"Foi uma vida de sofrimento, mas não reclamo disso, porque me ensinou a ter responsabilidade, compromisso, ajudar o próximo e conviver com o diferente. Eu ando de cabeça erguida, tenho muitos que gostam de mim e agora estou conquistando admiradores pelo programa e por minha história de vida. Estou servindo de inspiração para muita gente. Não passou pela minha cabeça um dia poder ajudar tantas pessoas."

Pedro Castro - Divulgação/Avaí - Divulgação/Avaí
Pedro Castro é um dos destaques do Avaí na atual temporada. Ele é revelado pelo Santos
Imagem: Divulgação/Avaí

Futebol