PUBLICIDADE
Topo

Cruzeiro

Robinho já integrou elenco campeão, mas quer nova Libertadores como titular

NELSON ALMEIDA/AFP
Imagem: NELSON ALMEIDA/AFP

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

04/03/2019 04h00

No elenco do Cruzeiro, Robinho é um dos poucos atletas que levam o título da Copa Libertadores no currículo. Mas a conquista com o Santos em 2011 não deixou no jogador o gosto real do título. Com participação baixa naquela edição, o meia praticamente não 'conta' com a taça que pouco ajudou a conquistar. Oito anos mais tarde, o jogador volta a sonhar com o torneio, agora como um dos protagonistas de Mano Menezes.

Robinho fez parte daquele Santos de 2011 que tinha Neymar e Ganso, e que conquistou a Libertadores da América. No entanto, o jogador participou apenas da primeira fase do torneio. Como seu contrato venceria no mês de maio, ele pediu para ser negociado e acabou liberado para acertar seu retorno ao Avaí, time que já havia defendido por empréstimo. Na época, o meia era pouco conhecido no cenário nacional, e ainda atendia pelo nome de Robson.

"Estava lá só no começo. Fiquei lá só na primeira fase. Depois o Muricy fez a fila andar. Não pude sentir esse gostinho aí não (risos)", brincou o jogador, em entrevista na Toca da Raposa, admitindo em seguida que sua saída do Santos ocorreu devido ao pedido para ser negociado.

Foi jogando por Avaí e Coritiba que o meia ganhou mais holofotes. De lá, foi contratado pelo Palmeiras, onde ficou pouco mais de um ano até se transferir para o Cruzeiro.

No ano passado, Robinho levantou sua terceira Copa do Brasil. Em todas elas, seja pelo Palmeiras ou com o Cruzeiro, o meia teve participação fundamental e foi titular nas decisões, fazendo gol e dando assistência. Agora o desafio é repetir os feitos também no torneio sul-americano.

Cruzeiro