PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Cruzeiro vê plantel fechado e só abrirá exceções para casos extraordinários

Com Orejuela (esquerda), Rodriguinho (direita) e mais 3 reforços, diretor vê time pronto - Bruno Haddad/Cruzeiro
Com Orejuela (esquerda), Rodriguinho (direita) e mais 3 reforços, diretor vê time pronto Imagem: Bruno Haddad/Cruzeiro

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

29/01/2019 04h00

Depois de contratar Jadson, Orejuela, Marquinhos Gabriel, Rodriguinho e Dodô, o Cruzeiro ainda não crava que encerrou suas atividades no mercado da bola, mas já vê o plantel pronto para disputar os quatro torneios da temporada 2019. A partir de agora, o clube só deverá contratar se perder alguma peça durante essa caminhada ou se conseguir parceiros para auxiliar em outras possíveis chegadas.

Quando encerrou o Brasileirão do ano passado, o discurso da diretoria era de trazer quatro peças: um lateral direito, um esquerdo, um meia e um jogador para o setor ofensivo que atuasse na beirada do campo. As três primeiras foram bem preenchidas, restando ainda contratar um atacante para os lados. Bruno Henrique virou alvo, mas sem sucesso. A procura ficou maior após a saída de Arrascaeta. Dos contratados, Marquinhos Gabriel poderá fazer a antiga função do uruguaio, mas não tem exatamente as mesmas características, como a velocidade. No elenco, David é um dos velocistas, além de Renato Kayzer, que estava emprestado ao Atlético-GO e Mano Menezes pediu para ser reintegrado.

"A princípio, serão esses jogadores mesmo. A gente nunca sabe, de repente pode sair alguém, ou se existir uma lesão mais longa. Mas, a princípio, será com esse elenco que nós vamos começar a temporada", comentou o diretor de futebol, Marcelo Djian, em entrevista à Rádio 98 FM após o clássico contra o Atlético-MG, no último domingo.

Para contratar, clube precisará viabilizar recursos

Atacante Keno - Reprodução - Reprodução
Imagem: Reprodução

Além de perder algum jogador do atual elenco por conta de lesão ou venda, o Cruzeiro pode voltar ao mercado de uma outra maneira. Itair Machado, vice-presidente de futebol, admitiu ainda estar a procura de um substituto para De Arrascaeta, mas quer evitar fazer novas dívidas e pretende viabilizar os recursos financeiros primeiro antes de tentar trazer outros reforços.

"Temos que viabilizar. Vocês não vão ver que o Cruzeiro ficou devendo o Rodriguinho, vocês não vão ver que o Cruzeiro ficou devendo o Dodô. O Cruzeiro fez dentro do planejamento financeiro, que será executado rigorosamente", informou Itair, há menos de uma semana.

Os nomes de Keno e Pedro Rocha despertam interesse, mas são considerados fora da realidade celeste.

"O Keno, nesse momento, é muito difícil. O valor é muito alto, de 13 milhões de euros (R$55,9 milhões). Comercialmente não seria muito bom, apesar de desportivamente ser ótimo. O Pedro Rocha seria mais viável, mas ele pediu pra esperar até julho, porque vai chegar um treinador novo lá e ele quer aguardar. Ele seria mais viável, tem só 22 anos, mas, no momento, não (há nenhum contato)", revelou o dirigente, na última segunda-feira, em entrevista ao Fox Sports.

Futebol