PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Hazard afirma que não pode ser comparado a Cristiano Ronaldo e Messi

Hazard é um dos principais responsáveis pela campanha do Chelsea na Premier League - Mike Hewitt/Getty Images
Hazard é um dos principais responsáveis pela campanha do Chelsea na Premier League Imagem: Mike Hewitt/Getty Images

Do UOL, em São Paulo (SP)

21/01/2019 13h36

O meia-atacante Eden Hazard afirmou que não pode ser comparado a Cristiano Ronaldo e Messi. Em entrevista à revista France Football, que teve alguns trechos divulgados nesta segunda-feira (21), o jogador do Chelsea falou sobre as comparações com grandes jogadores, a frustração que ele já causou aos seus treinadores e a importância de suas estatísticas dentro de campo. 

"Eu tenho uma boa dimensão desde a Copa do Mundo. As pessoas dizem: 'ele é um jogador muito bom, mas pode estar entre os maiores?', mas há um momento em que você tem que ficar na terra. Pelo que eles (Cristiano Ronaldo e Messi) fizeram por dez anos, eu não posso ser comparado a eles, é impossível!", afirmou o jogador. 

Hazard já fez declarações que indicavam seu mau relacionamento com alguns treinadores que passaram pelo Chelsea. Porém, dessa vez, ele revelou que sempre 'frustra' seus treinadores por não exercer a função que eles lhe pedem. 

"Na minha carreira, frustrei todos os meus treinadores. E, atualmente, frustro o Maurizio Sarri. Acham que é necessário marcar mais, fazer mais. O próximo técnico que eu tiver, vou frustrá-lo também", disse.

No Campeonato Inglês desta temporada, Hazard é o jogador mais importante do Chelsea com 10 gols e 10 assistências. De acordo com o belga, as estatísticas não são importantes para ele. 

"Se esta temporada, eu terminar com 30 gols e 20 assistências, todos vão dizer: 'excepcional'. Mesmo seu eu fizer todas as partidas ruins. Mas não é isso que eu quero. Eu não me importo! Por exemplo, prefiro fazer um jogo como o que perdemos por 1 a 0 no primeiro jogo da semifinal da Copa da Liga Inglesa para o Tottenham, quando fui bem, do que um jogo sem passes decisivos e sem gols, como na vitória contra o Brasil nas quartas de final da Copa do Mundo da Rússia", concluiu. 
 

Futebol