PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Alto salário de renegados de Sampaoli dificulta Santos a negociá-los

Sampaoli barrou atletas como Vladimir, Daniel Guedes, Eduardo Sasha, entre outros - Ivan Storti/SantosFC
Sampaoli barrou atletas como Vladimir, Daniel Guedes, Eduardo Sasha, entre outros Imagem: Ivan Storti/SantosFC

João Henrique Marques e Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

21/01/2019 04h00

O Santos está com dificuldades de negociar ou até mesmo usar como "moeda de troca" os jogadores renegados pelo técnico Jorge Sampaoli. Segundo apurou o UOL Esporte, o principal motivo é o alto salário da maioria deles.

Sampaoli, inclusive, deixou os "renegados" fora da primeira lista de inscrições para o Campeonato Paulista. Casos de Vladimir, Daniel Guedes, Derlis González, Eduardo Sasha e Bryan Ruiz, este último por conta da rescisão contratual amigável.

Desta lista, apenas Daniel Guedes não recebe mais do que R$ 200 mil mensais. O salário do lateral gira em torno dos R$ 120 mil.

Já o goleiro Vladimir recebe R$ 250 mil, enquanto Sasha ganha R$ 350 mil por mês. O ordenado de Derlis também supera os R$ 300 mil, enquanto Bryan Ruiz é mais alto. O costarriquenho chega a quase R$ 600 mil por conta das luvas diluídas no salário.

O Santos tem oferecido os atletas no mercado, mas enfrenta dificuldades por conta do ordenado. O clube paulista quer evitar empréstimos e ficar encarregado com parte do ordenado dos jogadores pois sofreu muitos calotes nos últimos anos.

Além de Derlis, Sasha e companhia, os atletas que retornaram de empréstimos - Cleber, Leandro Donizete, Rafael Longuine e Rodrigão - estão fora dos planos do treinador argentino e ficaram da lista do Paulistão.

A maioria deles também se destaca pelo ordenado alto. Somados, Cleber e Donizete, por exemplo, superam os R$ 500 mil mensais.

O técnico Jorge Sampaoli tentou a explicar as ausências mais surpreendentes da lista de inscritos do Paulista.

"Situação do Daniel Guedes é física, não está 100%, então não está pronto. Não era necessário colocá-lo", afirmou Sampaoli.

"Jogadores estão todos liberados para negociar. Não tomamos decisão sobre Sasha para achar o lugar dele. Que tenha possibilidade de jogar ou não. Capacidade tem porque o Santos o comprou. Hoje não podemos mentir, digo quando tenho certeza e não vou mentir aqui. Hoje, Sasha não tem definição esportiva, mas tem capacidade, e ele decide se continua lutando no clube ou se busca outro caminho", concluiu.

O goleiro Vladimir, por sua vez, se disse insatisfeito com o desenrolar desta situação e, principalmente, com o tratamento que estaria recebendo.

"Fiquei insatisfeito com o que eles fizeram comigo. Eles me mandaram procurar clube, nem inscrito no campeonato eu fui e ninguém veio me comunicar. Fiquei sabendo por pessoas que nem trabalham no clube. Mas o futebol funciona assim, vida que segue", desabafou.

O comentário foi feito em uma página de santistas no Instagram, que destacava uma declaração dada por Jorge Sampaoli na manhã desta sexta-feira (18). Em coletiva, o técnico admitiu que busca um goleiro.

Futebol