PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Inter tira "rótulo de base" de jogadores jovens e promete mais chances

Ramon, Nonato, Roberto e Pedro Lucas, jogadores jovens do Internacional - Ricardo Duarte/Inter
Ramon, Nonato, Roberto e Pedro Lucas, jogadores jovens do Internacional Imagem: Ricardo Duarte/Inter

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

15/01/2019 16h00

O Internacional tem como premissa em 2019 dar mais chances aos jogadores jovens. E de cara, o técnico Odair Hellmann tira o rótulo de "jogador de base" dos mais novos do grupo e irá avaliar a todos igualmente. 

"Os jogadores que estão aqui fazem parte do grupo principal. E eu falei isso para eles. Independente da idade do jogador, se é o Pedro Lucas (de 20 anos) ou o de maior idade do grupo, se progredir, mostrar capacidade, intensidade, e pular etapas, vai ganhando mais oportunidades. E vai acontecer o que aconteceu com Iago. Independente da idade, entra nesta situação. Vamos tentar dar oportunidade a todos. Talvez eu não consiga", disse o treinador. 

No princípio da temporada chegaram ao elenco principal de forma definitiva oito jogadores. Bruno Fuchs, Roberto, Sarrafiore, Richard, Pedro Lucas, Ramon, Carlos Miguel e Nonato. Bruno José foi alçado ao mesmo posto após a Copa Ipiranga. Netto, Edson e José Aldo também já estiveram nos treinos. 

"Eles (mais jovens) estão subindo uma etapa. Quando você sobre da base, na média, com exceções como o Otavinho (hoje no Porto), que saiu do Sub-17 direto para o principal e conseguiu desenvolver, precisa de um determinado tempo, precisam evoluir para o principal. É outra intensidade na base, é necessário se adaptar o mais rápido possível, e quem quebra essa barreira, independente de ter 16 ou 40 anos, consegue ter mais chances", completou o treinador. 

Os meninos têm formado o terceiro time nas atividades do Inter. Alguns deles, ainda, acabam sendo deslocados para completar os treinos em posições que não são as suas. Mas até num improviso surgem oportunidades. Richard, por exemplo, tem agradado o comando técnico como lateral direito. Ele é, naturalmente, meia. 

"É circunstancial. Mas o Richard fez um bom treinamento como lateral. E é uma posição que se paga mais caro no mercado, que tem poucas opções... Então, pode estar surgindo uma nova opção. E eu não conversei com ele, mas quem sabe... Agora é circunstancial, mas se acabar se desenvolvendo, podemos conversar com ele", completou o treinador. 

No início do Gauchão, Odair quer alternar a escalação e dar oportunidade a todos os jogadores. Serão nessas partidas que os mais jovens podem começar a cavar espaço na equipe.

Futebol