PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Grêmio vê ataque da base brilhar e reafirma quebra de paradigma

Da Silva tem quatro gols na Copa São Paulo e confirma alta de atacantes da base - Guilherme Rodrigues/GR Press
Da Silva tem quatro gols na Copa São Paulo e confirma alta de atacantes da base Imagem: Guilherme Rodrigues/GR Press

Jeremias Wernek

Do UOL, em Porto Alegre

15/01/2019 04h00

A classificação para as oitavas de final da Copa São Paulo confirmou um fato que existe há tempos no Grêmio. O clube gaúcho, entre o fim de 2018 e o início deste ano, reafirma sua nova condição de formador de atacantes. O setor ofensivo é destaque em quase todas as equipes de base e repete fórmula que já foi usada com Pedro Rocha, Everton e Luan.

Os nomes promissores do momento são Da Silva, Tetê e Léo Chú. Sávio, Isaque e Jhonata Robert também aparecem nas listas de destaques das categorias de base do Grêmio.

A estratégia atual é botar jogadores mais jovens em disputas de categorias avançadas. O time sub-20, por exemplo, tem vários jogadores com 18 anos. Na teoria, o elenco ganha experiência mais cedo e evolui mais rapidamente. Na prática, acelera também a promoção ao grupo principal.

Da Silva, 19 anos, já marcou quatro gols na Copinha. Em dezembro, ele já havia se destacado na Copa RS e chegou a ser observado por clubes europeus. O Grêmio já trabalha renovação, e o centroavante está no radar da comissão técnica do grupo principal. Tem chances de ser usado ao longo do Campeonato Gaúcho com status de período de testes.

Tetê, que ganhou notoriedade por treinar com a seleção brasileira e também pela multa rescisória de 100 milhões de euros (R$ 424 milhões, na cotação atual), só não está brilhando em São Paulo por outro compromisso. O meia-atacante foi convocado para disputa do Sul-Americano sub-20, no Chile. Ele é o principal nome a ser aproveitado no time principal do Grêmio em 2019. A velocidade, o drible e finalização chamam atenção nas atuações da joia.

Léo Chú, 18 anos, tem dois gols na Copa São Paulo e vem ganhando ainda mais espaço. O jovem é elogiado há tempos pela velocidade e pelo drible. Faz parte da chamada "geração 2000", de atletas nascidos em 2000, e evoluiu tanto que tem sido usado em equipes mais velhas. O mesmo vale para Sávio, outro atacante de 18 anos com dois gols no tradicional torneio.

A "geração 2000" e revelações anteriores confirma uma quebra de paradigma. Durante anos, o Grêmio acumulou surgimento de defensores - especialmente volantes. De 2013 para cá, investiu na captação e passou a priorizar garimpo de jogadores ofensivos. Coincidência ou não, os times sub-20 e sub-19 se destacam justamente pelo setor ofensivo. A defesa tem sido um ponto fraco para as equipes da base gremista.

A turma atual entra no embalo de um grupo que já rompeu histórico. Os gols decisivos de Pedro Rocha foram o início da nova era, que ainda teve o brilho de Luan na Libertadores e recentemente passou por Everton e suas arrancadas.

Futebol