PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Ex-Palmeiras rebate Simony por pensão de R$ 300 a filha: "Não sou Neymar"

Diego Souza, que jogou no Palmeiras, teve uma filha com a cantora Simony - Arquivo pessoal
Diego Souza, que jogou no Palmeiras, teve uma filha com a cantora Simony Imagem: Arquivo pessoal

Luiza Oliveira

Do UOL, em São Paulo

04/01/2019 04h00

O jogador Diego Souza, que jogou no Palmeiras e no futebol japonês, vive um imbróglio com a cantora Simony, com quem teve uma filha, atualmente com 12 anos. Ele foi criticado publicamente pela ex por pagar uma pensão de R$ 300 à menina e se defende dizendo que essa é a sua realidade financeira e que 'não é um Neymar'.

Simony criou polêmica ao fazer um post em uma rede social na última quarta-feira criticando o jogador. No Instagram, ela publicou uma foto da casa dele com uma legenda irônica. "A casinha que ele mora, tadinho, não tem condições. Por isso paga R$ 300 de pensão. Né, Diego Souza?", escreveu.

Simony e Diego Souza - Reprodução/Instagram - Reprodução/Instagram
Imagem: Reprodução/Instagram

Procurado pelo UOL Esporte, Diego Souza explica que sempre cumpriu a sua obrigação e pagou em dia a pensão estabelecida pela Justiça. Segundo ele, o valor atual é de R$ 300 porque é o que a sua condição financeira permite atualmente.

"A Simony está achando que eu sou o Neymar. Eu não sou Neymar. Acham que jogador ganha muito, milhões, mas 90% dos atletas profissionais ganham 1 salário mínimo. Eu não faço parte desses 10%. Eu estou encerrando a minha carreira no Taboão da Serra".

"O pessoal acha que eu sou o errado da história. Não sou o errado da história. Eu ajudo a minha filha da maneira que posso. Como vou pagar algo se não tenho condições? Se eu não pagar o que o juiz determinou, eu sou preso. Hoje tenho condições de pagar R$ 300. Ela quis aparecer, mas eu não sou assim. Tenho caráter, sou correto, sou homem", disse.

Diego afirma que hoje é contratado como jogador pelo time Taboão da Serra-SP e que seu salário é de aproximadamente R$ 1000 mil, registrado na carteira de trabalho seguindo o regime CLT. Ele diz ainda que não tem outras fontes de renda, que tem mais três filhos para sustentar do seu atual casamento e que até conta com a ajuda financeira do seu pai e do sogro para se manter.

"Hoje o meu salário é R$ 1000 no Taboão. Tenho como provar, CLT, tudo bonitinho, não tem como mentir para a Justiça. Se eu não tivesse ajuda do presidente (do clube) não sei o que seria de mim. Minha esposa trabalha, meu pai e meu sogro me ajudam".

Diego Souza, ex-Palmeiras e pai de filha de Simony, hoje atua no Taboão da Serra - Arquivo pessoal - Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal

Diego está em uma fase de transição na carreira para pendurar as chuteiras. Ele ainda é atleta, mas está fazendo um trabalho curto como técnico do time sub-20 do Taboão da Serra que disputa a Copinha. Se o trabalho der certo, ele pensa em estudar e seguir com a carreira de técnico.

Pensão era de R$ 6 mil quando atuava no Japão

A realidade de Diego já foi diferente. O jogador foi revelado no Palmeiras, em 2002, e foi um dos destaques da campanha da Série B de 2003. Ele foi atleta do clube até 2006 e depois fez carreira no Japão onde atuou em clubes como Tokyo Verdy, Kyoto Sanga e Vegalta Sendai. Na época, até meados de 2016, ele pagava uma pensão de R$ 6 mil à filha. Mas quando voltou ao Brasil para jogar no Volta Redonda-RJ, os rendimentos diminuíram e ele pediu à Justiça para fazer um ajuste que condissesse com sua nova realidade financeira. A pensão então caiu para R$ 1250.

"Sempre ajudei minha filha desde o primeiro dia. Paguei R$ 6 mil por cinco ou seis anos, se não me engano, isso sem atrasar nem um dia sequer. Quando voltei para o Brasil, ia receber bem menos que no exterior, então entrei com uma ação para abaixar porque eu não tinha mais condições de arcar com esses R$ 6 mil. Nem isso eu vim ganhar no Brasil".

Ainda de acordo com Diego, o valor da pensão chegou em R$ 300 quando a Justiça fez uma nova análise de seus rendimentos após Simony recorrer quando o valor estava ainda em R$ 1250.

Diego ainda se explicou sobre outra crítica de Simony ao citar a casa em que o jogador mora. "Minha casa não é uma mansão. É uma casa boa, que tem piscina, um espacinho gourmet, que eu comprei quando tinha condições e pagava os R$ 6 mil de pensão. Faz uns 10 anos, não comprei a minha casa ontem. Mas não é ostentação, não é da minha índole ostentar, eu fui criado na dificuldade. E eu nunca ganhei milhões. Eu consegui comprar uma casa, ajudar meus pais, pagar a pensão da minha filha, algumas coisas eu consegui fazer. E será que a Simony guardou o dinheiro que eu fiz antes? Eu não sei".

Por fim, Diego diz ainda que tem uma ótima relação com a filha e que é um pai muito amoroso. Ele afirma ainda que a vê com frequência e atende todas as necessidades de menina quando está em sua casa. E até questiona os cuidados que Simony tem com a menina. "Isso que a Simony está fazendo é uma coisa desnecessária. Se ela não está satisfeita, poderia sentar e conversar. Não precisava ser assim, fazer tempestade em copo d'água, ficar dando entrevista. Não estou aguentando mais tanta mentira sobre a minha pessoa", finalizou.

Procurada pelo UOL Esporte, a cantora Simony não quis se posicionar sobre o assunto. Ela confirmou apenas que considera o valor da pensão injusta e que, se pensasse o contrário, não faria o post no Instagram. "Deixa ele falar sozinho. Deixa ele declarar, dar entrevista. Eu não preciso disso não", afirmou rapidamente.

Esporte