PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Prejudicado, Cruzeiro reforça discurso de união brasileira na Libertadores

Discurso de união dos clubes brasileiros ficou mais forte após "caso Dedé", contra o Boca - AFP
Discurso de união dos clubes brasileiros ficou mais forte após 'caso Dedé', contra o Boca Imagem: AFP

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

17/12/2018 04h00

Eliminado nas quartas de final da Libertadores, o Cruzeiro não abandonou o sonho de conquistar a América pela terceira vez. Mas para a edição do ano que vem, a equipe mineira não quer repetir os mesmos transtornos que passou antes de cair para o Boca Juniors. Os problemas vividos pelos mineiros, assim como as queixas do Santos e Grêmio fizeram crescer o discurso de união e fortalecimento dos clubes brasileiros nos bastidores da competição.

Nesta semana, o presidente do Cruzeiro, Wagner Pires de Sá, comentou que há contatos com dirigentes de outros clubes que disputarão os torneios internacionais em 2019. O objetivo é conseguir mais igualdade perante a Conmebol. O presidente celeste também falou da importância da CBF para fortalecer o papel das equipes na entidade.

"Temos que nos unir, nós, clubes de futebol, junto com a CBF, para bater firme. Senão nós seremos prejudicados sempre. Isso é muito triste, ou fazemos a coisa séria, ou vai esculhambar tudo", comentou o presidente Wagner Pires, em entrevista à Rádio Super Notícia.

Na Libertadores deste ano, o primeiro grande problema vivido por um time brasileiro aconteceu com o Santos. A Conmebol viu erro do Santos ao escalar Carlos Sánchez e acabou mudando o resultado de 0 a 0 da primeira partida, decretando a vitória do Independiente por 3 a 0. Na volta, o clube alvinegro não conseguiu reverter o placar e acabou eliminado.

Já o 'caso Dedé' ficou conhecido por causa da expulsão do zagueiro do Cruzeiro contra o Boca Juniors. Mesmo com a utilização do VAR, o jogador acabou recebendo o vermelho após um choque com o goleiro Andrada. A cena rodou o mundo e o Cruzeiro acabou conseguindo a liberação para seu jogador atuar na partida de Belo Horizonte. Dedé jogou, foi expulso novamente e o Cruzeiro acabou eliminado.

Por último, o Grêmio também não poupou críticas depois de ser eliminado para o River Plate. O técnico Marcelo Gallardo estava suspenso para o jogo da volta, mas circulou livremente no estádio do Tricolor, visitou o vestiário de sua equipe e ainda fez comunicação com o auxiliar em campo.

"Espero que esse ano, com toda essa repercussão na imprensa internacional, que eles tratem essas coisas com mais seriedade", acrescentou.

O sorteio da Libertadores 2019 será nesta segunda-feira. Ao lado dos brasileiros Palmeiras e Grêmio, o Cruzeiro será cabeça de chave e ficará no pote 1. O presidente Wagner Pires de Sá e o supervisor administrativo Benecy Queiroz representarão a Raposa no Paraguai.

Futebol