PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Banco BMG vê empecilho, mas volta a avançar em compra de clube português

Vitória de Guimarães interessa ao Banco BMG - Divulgação/site Vitória de Guimarães
Vitória de Guimarães interessa ao Banco BMG Imagem: Divulgação/site Vitória de Guimarães

Marcus Alves e Thiago Fernandes

Do UOL, em Lisboa e Belo Horizonte

15/12/2018 04h00

O Banco BMG segue tentando a compra do Vitória de Guimarães, de Portugal. As negociações ocorrem há mais de um ano e podem ter um desfecho positivo em breve. A instituição financeira precisa da mudança de uma regra no estatuto do clube para finalizar o acordo. Os portugueses também são favoráveis ao acordo.

Em março passado, o Banco BMG chegou a encaminhar o acordo para a compra do clube português. No entanto, diante do impasse criado nos bastidores do clube, a instituição financeira não pôde concluir o acordo conforme esperado.

O UOL Esporte descobriu que o negócio voltou a caminhar no sentido positivo nos últimos meses. Houve conversa recente de advogados da instituição financeira que costuma investir em contratações e já administra o Coimbra, de Minas Gerais, com dirigentes do clube português. Procurado pela reportagem, o empresário Hissa Elias Moyses, representante do BMG, confirma a existência das tratativas, mas evita dar detalhes do negócio.

A reportagem apurou também que o Vitória de Guimarães mantém interesse na entrada do BMG no clube. O obstáculo para o acerto é a necessidade de mudança no estatuto da equipe. 

Em setembro, foi feita Assembleia Geral dos sócios para discutir, entre outros pontos, a mudança em um artigo no livro de regras do time. Este trecho tiraria o direito de voto na nomeação de membros para o Conselho de Administração da SAD (sociedade anônima desportiva), com exceção da função de presidente do órgão.

Hoje, mesmo possuindo apenas 40% das ações, o Vitória detém o controle, podendo eleger a administração completa. Com a mudança, o BMG poderia indicar possíveis representantes também, o que não acontece atualmente. No fim das contas, os sócios rejeitaram a modificação e impediram que o BMG, caso viesse a adquirir a maior parte do capital social, ganhasse poder internamente.

O desgaste com o assunto foi tão grande que o presidente Júlio Mendes se afastou do cargo por um determinado período após toda essa confusão para cuidar da saúde. A ausência do mandatário fez com que a negociação ficasse estagnada nos últimos meses. O mandatário do Vitória de Guimarães, por sua vez, não foi encontrado pela reportagem. O dirigente evita se manifestar neste momento.

Na última semana, Kia Joorabchian, parceiro de Bertolucci, representante da BMG, esteve em Portugal intermediando uma oferta do Reading, da segunda divisão inglesa, pelo técnico do Vitória, Luís Castro. Ele assumiu a sua carreira recentemente. Não houve acordo, por enquanto.

Futebol