PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Pressionado no Fluminense, Abad cogita renúncia e estuda cenários

Presidente Pedro Abad vive momento conturbado na política do clube - Mailson Santana/Fluminense
Presidente Pedro Abad vive momento conturbado na política do clube Imagem: Mailson Santana/Fluminense

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

14/12/2018 13h15

A situação política quase insustentável no Fluminense pode culminar com a renúncia do presidente Pedro Abad, hipótese que pode se concretizar até o fim desta semana.

Isolado e acuado, Abad tenta construir uma saída honrosa do clube e quer evitar o impeachment a qualquer custo. No próximo dia 20, o Conselho Deliberativo tricolor vota a matéria, mas essa ruptura traumática seria ruim para vários lados.

Além de o Fluminense mergulhar em uma grande crise institucional, o estatuto prevê que o impedimento seja precedido de eleições no clube em até 45 dias. Caso o mandatário simplesmente peça o boné, assume Fernando Leite, presidente do Conselho Deliberativo do Flu. Um pedido de licença também seria uma possibilidade e isso está sendo avaliado.

Leite faz parte do grupo que tem entre seus expoentes Cacá Cardoso, ex-vice geral, e Diogo Bueno, ex-vice de finanças. Os antigos aliados de Abad entendem que têm condições de tocar o Fluminense até novembro de 2019, quando um novo pleito aconteceria.

"Eu não poderia antecipar a eleição (em caso de renúncia). Caso isso aconteça, legalmente eu passaria a assinar documentos do clube como presidente. Mas essa é uma decisão que cabe ao presidente", explicou Leite ao UOL Esporte.

Por outro lado, antecipação do pleito é o que deseja a ala capitaneada por Celso Barros, Mario Bittencourt e Ricardo Tenório. Integrantes de um grupo que deseja concorrer à presidência, a trinca entende que o caminho é a convocação de uma Assembleia Geral Extraordinária, que poderia mudar o calendário tricolor.

Em meio a este cenário, Abad procura um caminho mais 'suave' para construir sua possível saída das Laranjeiras. Até a aliados mais próximos ele já confidenciou que não reúne mais condições de governar o Fluminense.

Em nota enviada pela assessoria de imprensa, o Flu informou que "ao contrário do que foi noticiado pela imprensa, o presidente do Fluminense Football Club, Pedro Abad, não irá renunciar ao seu cargo. O planejamento do clube para 2019 segue em andamento e as novidades serão anunciadas em breve, inclusive o treinador".

Diferentemente do comunicado do clube, não foi noticiado que Abad renunciaria, mas sim que estava avaliando esta possibilidade.

Futebol