PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Boca Juniors confirma rumor e anuncia saída do técnico Guillermo Schelotto

Presidente do Boca despistou, mas indicou que vice na Libertadores pesou em decisão - Alejandro Pagni/AFP
Presidente do Boca despistou, mas indicou que vice na Libertadores pesou em decisão Imagem: Alejandro Pagni/AFP

Do UOL, em São Paulo

14/12/2018 17h45

O Boca Juniors confirmou nesta sexta-feira (14) a saída do técnico Guillermo Barros Schelotto. Em entrevista coletiva, o presidente do clube, Daniel Angelici, evitou esclarecer o motivo da saída do treinador, que já vinha sendo especulada, mas indicou que a derrota para o River Plate nas finais da Libertadores de 2018 pesou na decisão.

“Quero agradecer a Guillermo e a sua comissão técnica pelos dois campeonatos que ganhamos e por termos chegado a esta fase na Copa”, disse, referindo-se aos títulos argentinos de 2017 e 2018. “Ninguém mais do que todos nós queríamos ganhar esta final”, completou.

Schelotto chegou ao Boca Juniors como treinador em março de 2016 e tinha contrato até o fim de 2018. Com ele, sai também seu irmão gêmeo, Gustavo Barros Schelotto, que trabalhava como seu auxiliar técnico na equipe.

Leia também:

Apesar da derrota na decisão do último domingo (9), Angelici usou sua coletiva para assegurar que a decisão foi tomada com calma. Por enquanto, o Boca não tem um novo para substituir Schelotto.

“Passaram-se vários dias. Assumi com muita dor e tristeza (o fato de) não ter conquistado o objetivo conquistar a sétima Copa. Desde o clube, sua diretoria, sua comissão técnica e os jogadores, foi feito tudo que esteve a nosso alcance. Muitas vezes, não se valoriza chegar à final”, disse o presidente.

O agora ex-treinador do Boca, presente à coletiva, falou na sequência. De acordo com o jornal La Nación, apesar de emocionado, o ex-meia-atacante foi firme em suas palavras.

“Quero agradecer à diretoria, aos funcionários, aos jogadores. E agradeço ao torcedor pela maneira como me tratou nestes três anos, independente de ganhar ou perder. Vou com a tranquilidade de ter dado tudo que era possível”, disse, destacando o “grande amor” da torcida, especialmente na reta final da Libertadores.

“Quero agradecer também a vocês, jornalistas. Tivemos idas e voltas, discussões. Mas hoje quero ir em paz. Não quero ter razão. Haverá muitas perguntas, mas prefiro não responde-las hoje”, acrescentou.

Futebol