PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Inter não põe atletas 'na prateleira' e diz que pode se reforçar sem vender

Dourado em ação contra o Grêmio; volante é o jogador mais valorizado do Inter - Jeferson Guareze/AGIF
Dourado em ação contra o Grêmio; volante é o jogador mais valorizado do Inter Imagem: Jeferson Guareze/AGIF

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

13/12/2018 04h00

O Internacional precisa vender jogadores para ter poder de investimento, mas não se vê engessado. Em recuperação de uma grave crise financeira, o Colorado aposta em "criatividade" para tentar agregar qualidade ao time, e, ainda que dependa de verba com saídas, a direção evita tratar seus atletas como negociáveis. 

O Inter conseguiu diminuir seu déficit em R$ 50 milhões graças a uma série de condutas. Os recursos vieram, principalmente, da negociação de jogadores que já não estavam no elenco. 

A última venda importante de jogador do grupo foi a de William para o Wolfsburg, da Alemanha. Com uma temporada na Série B, o Colorado entendia que precisava de uma vitrine melhor para valorizar seus atletas e então poder fazer negócio nos moldes pretendidos. Pois foi a boa campanha deste ano que pôde contribuir para isso. 

"O ano que passou, não vendemos ninguém. Isso nos daria uma tranquilidade para estar numa situação melhor, mas não impede o investimento. O Inter é muito grande, tem muitas fontes de receita. Não vender não vai nos impedir de contratar. Neste ano, tivemos propostas e fizemos um esforço grande para não deixar ninguém sair. Agora vamos esperar a janela de transferências", disse o vice de futebol Roberto Melo. 

Rodrigo Dourado é o nome mais valorizado entre os atletas do Inter. Iago e William Pottker também têm alguma chance de venda. Até então, não há qualquer proposta oficial apresentada à direção do clube. 

"Não se coloca jogador 'na prateleira' e diz: vende-se. Não necessariamente o Dourado, mas qualquer um. Ele é importantíssimo para nós, mas o Inter é tradicionalmente um clube formador e vendedor de atletas. O cenário da América do Sul é um cenário de venda de atletas. Precisamos aguardar para ver o que vai acontecer", completou o presidente Marcelo Medeiros. 

O molde de negociação de venda de atletas emprestados também segue forte. Marcinho, cedido até abril para o Fortaleza, recebeu uma sondagem do exterior e aguarda a oficialização da proposta para ser vendido. O valor que entrar do acordo pode facilitar qualquer investida. 

Sem reforços até o momento, o Inter está prestes a confirmar a renovação do empréstimo de Wellington Silva, do Fluminense. Além disso negocia a troca de Andrigo por Neilton com o Vitória. 

Futebol