PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Atrapalhado por lesões no Real, Pablo dá condições para deixar Atlético-PR

Na Copa Sul-Americana, Pablo marcou 5 gols e deu 3 assistências  - RAUL ARBOLEDA / AFP
Na Copa Sul-Americana, Pablo marcou 5 gols e deu 3 assistências Imagem: RAUL ARBOLEDA / AFP

Do UOL, em São Paulo (SP)

13/12/2018 16h21

O Atlético-PR conquistou a Copa Sul-Americana na última quarta-feira (12) após superar o Junior Barranquilla nas penalidades por 4 a 3 (1 a 1 no tempo normal). Pablo, atacante da equipe, foi o herói do Furacão na fase decisiva, marcando gols nas duas partidas da final.

Utilizando a camisa 5 na competição, o atacante de 26 anos teve uma passagem pouco duradoura pelo Real Madrid Castilla, o time B da equipe madrilena. Em 2014, quando esteve em Madri atuou em apenas quatro partidas e não marcou nenhum gol, cenário muito diferente do que viveu no Atlético-PR neste ano. O atleta atribuiu o mau momento do passado às lesões.

"Eu tive muita lesão lá. Me atrapalhou muito. Cheguei lá no começo do ano e já me colocaram para jogar os 90 minutos, no dia seguinte fui treinar e tive uma lesão no posterior da coxa. As lesões me atrapalharam bastante. Como era a minha primeira vez fora do país, acabou não caminhando como eu gostaria. É coisa que acontece no futebol. Fiquei muito feliz e amadureci muito por ver pessoas de alto nível trabalhando lá [no Real Madrid]. Foi um momento de muito aprendizado na minha vida", afirmou Pablo em entrevista ao SporTV.

A Copa Sul-Americana foi a primeira conquista continental do Atlético-PR. Pablo acredita que essa foi a melhor forma de retribuir tudo que o clube lhe proporcionou desde que ele chegou.

"Com certeza é bom estar na história do Atlético. São 12 anos de clube, aqui me proporcionaram muitas coisas e eu não poderia retribuir de oura maneira. Estou muito feliz ao lado de todos da comissão técnica e da diretoria. Esse título e essa emoção vão ficar para sempre marcada na história do clube", revelou.

A grande temporada de Pablo não se limita à Copa Sul-Americana. Em 2018, o atacante atuou em 51 partidas, marcou 18 gols e contribuiu com cinco assistências. O jogador do Atlético-PR pode ser um dos jogadores mais cobiçados nesta janela de transferência, mas no momento ele disse que só quer pensar nas férias e na família.

Saída? Só se for bom para o Atlético-PR

Especulado como reforço de equipes como Flamengo e Palmeiras, Pablo garante que só vai pensar em seu futuro a partir de agora, já com a temporada concluída. Em entrevista à ESPN Brasil, disse que só sairá se a negociação for vantajosa para ele e para o Atlético-PR.

"Olha, eu evitei falar isso com meu pai, com meus empresários, com o presidente, para ficar focado nessa reta final de temporada. Quando você faz um grande ano, as equipes com um poder financeiro alto vão atrás de você. É algo que não me preocupa. É algo que a gente vai conversar e vai decidir. Sou muito feliz, tenho contrato com o Atlético até 2021. Sou muito feliz no Atlético. O ciclo que eu tenho no clube é muito legal, faz parte da minha vida para sempre, mas a gente sabe que ser algo muito positivo para o clube e o presidente que é necessário, eu sairei", disse.

"O presidente, o meu pai, os meus empresários, eles que cuidam das negociações. Quero aproveitar as férias - mas claro, sou eu que vou viver no lugar com a minha esposa, aqui em Curitiba ou onde quer que seja. Eu tenho voz com o presidente, e a nossa voz vai valer. Eu escuto muito meu pai, meus empresários. Vamos escolher a melhor solução. Se for ficar no Atlético, eu ficarei. Se for sair para ajudar o clube, eu sairei", acrescentou.

Alguns fatores, porém, pesam a favor da permanência. Além do bom momento e do título da Sul-Americana, que valeu ao clube uma vaga na Libertadores de 2019, o Atlético-PR oferece a Pablo um bom ambiente.

"A gente tem jogadores que estão jogando juntos há três anos já. Isso faz total diferença. Foi criando corpo, ajustando as peças. Hoje o time é uma família, um grupo muito unido. A força do nosso time e impressionante", disse. "Acho que a força do nosso grupo fez total diferença para a gente o conquistar o título e sair da zona do rebaixamento e terminar na sétima posição do Campeonato Brasileiro", completou.

Futebol