PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Corinthians pode "perder" R$ 11 mi sem Libertadores e vê reforços limitados

Diego Salgado

Do UOL, em São Paulo

12/12/2018 12h00

O Corinthians ficou fora da Libertadores 2019 e se limitará à busca do título da Copa Sul-Americana. A má campanha no Campeonato Brasileiro deste ano e a consequente perda da vaga na competição mais importante do continente irão afetar diretamente a finança corintiana, contribuindo para que o clube tenha menos força no mercado da bola- a diretoria, na comparação com anos anteriores, tem encontrado mais dificuldades nas negociações, com apostas mais conservadoras.

Dois fatores contribuem para a "perda" de dinheiro sem a Libertadores: a queda da renda dos jogos e a premiação paga pela Conmebol. Dessa forma, no pior cenário, o Corinthians deixaria de ganhar pelo menos R$ 5,6 milhões com bilheteria e mais R$ 6 milhões com os valores repassados pela entidade por causa da participação na competição menos famosa no âmbito continental. O montante seria, portanto, de R$ 11,6 milhões [veja abaixo as contas de premiação e bilheteria].

Essa será a perda aproximada caso o time alvinegro seja eliminado logo nos primeiros duelos de mata-mata da Copa do Brasil e da Copa Sul-Americana - na fase de grupos da Libertadores, os corintianos fariam no mínimo três jogos. A média de renda em Itaquera nos jogos da Libertadores 2018 chegou a R$ 2,2 milhões, contra R$ 1 milhão da renda obtida no primeiro jogo com mandante na Sul-Americana 2017.

Em 2018, o clube alvinegro ainda recebeu 600 mil dólares (R$ 2,34 milhões na cotação atual) por cada um dos três jogos da fase de grupos da Libertadores, com total de R$ 7 milhões. No ano anterior, recebeu R$ 1 milhão da Conmebol pelo jogo da primeira fase da Sul-Americana.

Nos últimos quatro anos, a equipe alvinegra disputou a Libertadores em 2015, 2016 e 2018. Em 2017, ficou fora da competição mais importante da América do Sul e disputou a Copa Sul-Americana. Na comparação entre as últimas duas temporadas, as cifras obtidas com bilheteria no ano passado são bem superiores às registradas em 2017.

Cenário afeta poder no mercado

Em crise financeira e sem o atrativo e o retorno financeiro da Libertadores, o Corinthians tem encontrado dificuldades em acertar com reforços para o ano que vem, numa situação parecida com o fim da temporada 2016 - naquela ocasião, o time também não conseguiu a vaga na Libertadores do ano seguinte. Tal cenário contrasta com a atuação no mercado entre 2015 e 2016, quando a diretoria contratou Marquinhos Gabriel, Giovanni Augusto, Marlone, Guilherme e André para disputar a competição continental.

Agora, a situação é bem distinta. O Corinthians já acertou com quatro jogadores: o lateral Michel Macedo, os atacantes Gustavo Mosquito e André Luis, além do volante Richard. O clube ainda busca, entre outros, o zagueiro Leandro Castán, que está acima dos 30 anos e sem outros clubes interessados, e o meia Sornoza, em baixa no Fluminense.

Corinthians arrecadou menos em 2017

Na temporada passada, o Corinthians também ficou fora da Libertadores. O time disputou três jogos como mandante na Copa Sul-Americana e foi eliminado nas quartas de final. Nessas três partidas, o clube teve renda bruta de R$ 3,9 milhões. Fora da Libertadores, a equipe ainda disputou as fases iniciais da Copa do Brasil. Em dois jogos como mandante disputados antes das oitavas de final, a arrecadação chegou a R$ 2,6 milhões.

O montante de R$ 6,5 milhões, assim, ficou bem abaixo dos R$ 9,3 milhões obtidos com a renda dos quatro jogos em Itaquera na Libertadores 2018 - a diferença chegou a R$ 2,8 milhões.

Isso acontece por causa de dois aspectos: o primeiro está ligado à menor atratividade dos jogos. A média de público nos jogos da Copa Sul-Americana foi de 28 mil torcedores, contra 38 mil nos duelos do Corinthians na Libertadores. O valor do ingresso também fica abaixo. No primeiro caso, o tíquete médio chegou a R$ 47. No segundo, a quase R$ 73.

Em relação às premiações, as perdas são ainda maiores. Em 2018, o clube recebeu, além dos 600 mil dólares por cada um dos três jogos da fase de grupos da Libertadores, 750 mil dólares (R$ 2,9 milhões) pela ida às oitavas de final. Enquanto isso, os clubes que disputaram a Copa Sul-Americana embolsaram 250 mil dólares (R$ 975 mil) no jogo da 1ª fase, além de 300 mil dólares (R$ 1,2 milhão) e 375 mil dólares (R$ 1,5 milhão) nas fases posteriores.

Pela participação na Copa Sul-Americana 2017, o Corinthians recebeu aproximadamente R$ 3,7 milhões. Em 2018, os ganhos somente pela participação na Libertadores, até as oitavas de final, atingiram R$ 9,8 milhões. A diferença chegou, dessa forma, a quase R$ 6 milhões. Somada às "perdas" com a bilheteria, o valor chegou a R$ 8,8 milhões.

Receita corintiana nos 3 primeiros jogos da Libertadores 2018
Bilheteria: R$ 6,6 milhões
Premiação: R$ 7,0 milhões
Total: R$ 13,6 milhões

Receita corintiana no pior cenário de 2019 (eliminado nas primeiras fases da Copa do Brasil e da Copa Sul-Americana)
Bilheteria: R$ 1 milhão
Premiação: R$ 1 milhão
Total: R$ 2 milhões

Futebol