PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Atlético-MG e Fred elegeram CNRD para que multa não fosse à justiça comum

Fred em ação pelo Cruzeiro; jogador defendeu o Atlético-MG até o fim de 2017 - Thomás Santos/AGIF
Fred em ação pelo Cruzeiro; jogador defendeu o Atlético-MG até o fim de 2017 Imagem: Thomás Santos/AGIF

Enrico Bruno e Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

11/12/2018 04h00

Atlético-MG e Fred descobrirão o parecer da Câmara Nacional de Resolução de Disputas (CNRD) da CBF sobre a possível multa de R$ 10 milhões pela ida ao Cruzeiro nesta terça-feira (11). A decisão cabe recurso no regimento do próprio órgão e não deve ir à justiça comum.

A princípio, o resultado seria comunicado às partes no último 3 de dezembro. No entanto, a pedido de Luiz Guilherme Pires Barbosa, relator do caso, a data foi alterada.

Envolvido na ação, o vice-presidente de futebol do Cruzeiro, Itair Machado, ventilou a possibilidade de acionar a justiça comum em uma possível derrota, conforme revelado pelo Globoesporte e confirmado pelo UOL Esporte.

No entanto, de acordo com Luiz Zveiter, advogado do Galo no caso, o jogador não terá a possibilidade de acionar a justiça comum em caso de derrota na CBF.

"Não vejo espaço que haja interferência da justiça comum na discussão entre o Atlético e o atleta. Ambos, quando assinaram o contrato, elegeram a CNRD como foro competente para dirimir qualquer conflito", disse, ao UOL Esporte.

A defesa de Fred confirma a existência do acordo citado por Zveiter, mas não descarta um caminho parecido com o sugerido por Itair Machado a fim de conseguir um parecer favorável na justiça comum. No entanto, trata a situação com cautela. Perguntado sobre o assunto, o advogado do camisa 9, Fernando Moura, limitou-se a dizer: "É uma boa discussão (a possibilidade de ir à justiça comum)".

A reportagem tentou contato com Marcos Motta, responsável pela defesa da Raposa no caso. O advogado, no entanto, não atendeu às ligações e tampouco respondeu à mensagem.

A briga entre Atlético e Fred se iniciou em dezembro de 2017. Há um ano, o jogador rescindiu o contrato com o Galo e, no acordo, se comprometeu a pagar R$ 10 milhões ao ex-clube em caso de assinatura de vínculo empregatício com o arquirrival Cruzeiro até o último dia de 2018.

Menos de um dia após a quebra do contrato com o Atlético, o centroavante vestiu a camisa da Raposa. No compromisso, solicitou o pagamento da multa pelo novo empregador. A Raposa acatou o pedido e aceitou colocá-lo em contrato. O "sim" da diretoria celeste foi registrado em cartório. 

Desde janeiro deste ano, as partes aguardam um parecer da CNRD sobre a dívida assumida por Fred com o Atlético. A primeira posição do órgão será nesta terça.

Futebol