PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Repórter que viralizou relata nervosismo e se irrita com piadas na internet

Ángel Sastre durante a passagem no Monumental: "Eu me saí mal, simples" - Reprodução
Ángel Sastre durante a passagem no Monumental: "Eu me saí mal, simples" Imagem: Reprodução

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

28/11/2018 04h00

O repórter Ángel Sastre está incomodado. Uma passagem considerada malsucedida pelo próprio durante fim de semana, em meio à confusão do cancelamento de River Plate x Boca Juniors, pela final da Copa Libertadores, tornou o jornalista espanhol um viral na internet. Muitas das piadas associaram o desempenho à embriaguez, situação que mais irritou o jornalista freelancer da emissora Notícias Cuatro.

Leia mais

Sastre, 38 anos, fez autocrítica sobre o ao vivo. Ele mesmo não gostou do que viu depois na tela da televisão. Contudo, a repercussão na internet gerou uma irritação inédita na carreira. Aos poucos, as ‘bromas’ surgiram e ofenderam o profissional que mora há dois anos na Argentina, possui 17 de carreira e já cobriu conflitos em países como a Síria, Iraque, Níger e até no Brasil (Pará e Maranhão).

“Foi culpa minha, me saí mal, simples. Não fiz um bom ao vivo. Não estava confortável com o ambiente. Não estou contente, mas ainda mais incomodado pelo que fizeram. Foi uma falha, não tem nada a ver com o que aconteceu no passado. Me incomoda mais os companheiros dando informações e fazendo piadas que eu estava bêbado”, desabafou, em conversa com a reportagem do UOL Esporte.

O jornalista carrega traumas do período em que exerceu o cargo de correspondente internacional em zonas de conflito. Há anos, Sastre convive com transtorno pós-traumático, fruto de todas as cenas que testemunhou de perto e uma experiência negativa pessoal. Em 2015, o repórter espanhol passou dez meses sequestrado na Síria ao lado de mais dois companheiros de profissão.

Entre eles estava Antonio Pampliega, um dos maiores defensores de Sastre no caso de Buenos Aires e que justificou o desempenho do colega às lembranças da guerra. A informação foi devidamente negada pelo profissional que estava no ar em frente ao Monumental de Nuñez.

“Antonio teve a melhor das intenções, mas não teve nada a ver com o que passei, não quero ser colocado desta maneira. Não é uma ‘vida dura de repórter’ que me fez tornar viral. Uma pena que companheiros fizeram piada comigo, lamentavelmente. Estou tranquilo, orgulhoso dos que me defenderam e com decência para falar”, assegurou o jornalista.

O maior incômodo de Sastre é depositado na imprensa espanhola. Inclusive, o repórter já iniciou um trabalho com advogados para processar alguns dos veículos que o associaram à embriaguez - ele tem reunido ofensas publicadas para futuramente entrar na Justiça.

Para apagar rapidamente as piadas e voltar a uma rotina normal, o espanhol vai cobrir a reunião do G-20 deste fim de semana em Buenos Aires. O trabalho e o apoio, inclusive da Noticias Cuatro, confortam o jornalista que em todos os momentos da conversa fez questão de mostrar um grande incômodo com as piadas.

“Eles me apoiaram e disseram que conheciam meu trabalho. Espero seguir colaborando com normalidade. Vamos para a próxima”, discursou Ángel.

“Quero que me conheçam pelo trabalho. Ali havia um ambiente que procurei controlar no improviso. Fiz o melhor possível, mas me saí mal. Não sabia bem como me comportar naquele clima [o jogo acabava de ser adiado pela segunda vez e havia tensão nos arredores do Monumental de Nuñez]”, completou.

O dia responsável por tornar Sastre uma webcelebridade se tornou apenas mais um capítulo da tumultuada final entre River Plate x Boca Juniors. Nesta terça-feira (27), a Conmebol decidiu que o confronto entre os dois maiores rivais argentinos vai acontecer dia 7 ou 8 de dezembro, em sede fora da Argentina ainda a ser definida.

Futebol