PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Flu coleciona problemas dentro e fora de campo, e agoniza na reta final

Siga o UOL Esporte no

Leo Burlá

Do UOL, no Rio de Janeiro

23/11/2018 04h00

A situação antes confortável no Campeonato Brasileiro ganhou contornos de drama após a derrota por 2 a 0 para o Bahia, e o Fluminense chega à reta final da temporada colecionando problemas dentro e fora de campo.

O time chegou ao sexto jogo sem vitória, viu a distância para a zona da degola cair para quatro pontos e já chega a 582 minutos sem colocar uma bola na rede adversária. Sem poder de fogo, Marcelo Oliveira chegou a relacionar e mandar a campo o jovem Macula diante do Ceará. A utilização do jogador, que sequer treina entre os profissionais, causou espanto no clube.

A queda evidente dentro das quatro linhas chega justamente em um momento que o Tricolor precisava estar forte para avançar à final da Copa Sul-Americana. Após perder por 2 a 0 na ida, a equipe encara na quarta-feira o Atlético-PR, às 21h45, no Maracanã, e a virada soa improvável à medida que o rendimento da equipe despenca.

"Não vamos desanimar, é hora de um abraçar o outro, precisamos de todos com a cabeça boa. Vamos deixar o Fluminense no lugar que ele merece", disse Digão ao "Premiere".

O elenco não é marcado pela fartura de peças e tem convivido com baixas e problemas médicos. Contra os baianos, Gum deixou o campo lesionado e engrossa uma lista que tem Airton, Dodi, Ibañez, Gilberto e Pedro.

Não bastassem as questões dentro de campo, a administração do clube faz a temperatura subir ainda mais. Com os jogadores sem receber direitos de imagem (5 meses) e salário da carteira de trabalho (dois meses), a insatisfação é evidente e só aumenta. No vestiário do Allianz Parque, o atacante Marcos Jr. cobrou o diretor Paulo Angioni sobre as dívidas. Há a expectativa que parte dos débitos sejam quitados nesta sexta.

O presidente Pedro Abad liderou uma "vaquinha" para levantar um dinheiro a ser pago após o jogo contra o Ceará, e cerca de R$ 150 mil foram rateados entre todos. Tão logo acabou a partida contra o Alvinegro, dois torcedores entraram no vestiário para uma conversa com líderes do elenco.

"O problema financeiro interfere, é representativo. Quando é um período menor, reflete menos. Não é o nosso caso. Ninguém deixar de treinar ou jogar, todos se esforçam e se empenham", analisou o técnico Marcelo Oliveira.

É neste cenário que o Flu volta da capital baiana e volta imediatamente as suas atenções para o Internacional, rival do próximo domingo, às 19h, no Beira-Rio. Uma nova derrota pode tornar a partida da última rodada uma questão de vida ou morte.

Esporte