Topo

Futebol


Titular, Marquinhos não teme perder posição à beira da Copa de novo

Marquinhos perdeu a posição de titular às vésperas da Copa do Mundo da Rússia - Lucas Figueiredo/CBF
Marquinhos perdeu a posição de titular às vésperas da Copa do Mundo da Rússia Imagem: Lucas Figueiredo/CBF

Marcus Alves

Colaboração para o UOL, de St. Albans (Inglaterra)

13/11/2018 15h55

Desde a última Copa do Mundo, somente um jogador participou de todos os minutos dos amistosos disputados pela seleção brasileira: Marquinhos. Ao mesmo tempo em que a situação gera confiança, ela traz consigo também recordações de uma frustração marcante que o zagueiro de 24 anos amargou recentemente. Titular ao longo de toda a caminhada nas eliminatórias, ele foi sacado do time e substituído pelo colega Thiago Silva à beira da ida para a Rússia.

Leia mais

Carregando essa cicatriz, o destaque do PSG tenta não se deixar levar pelo excelente momento que atravessa na carreira.

“É um trabalho mental. Em cada convocação, coloco na minha cabeça que tenho de fazer o meu melhor em cada segundo em campo para estar merecendo a vaga e a confiança do professor. A gente sabe que na seleção ninguém tem cadeira cativa, todos têm que batalhar e correr atrás. É isso que eu coloco na minha cabeça”, afirmou o defensor.

Marquinhos abordou ainda as ausências de companheiros como Casemiro e Marcelo nos próximos dois amistosos, ambos machucados, e deixou claro que, se for preciso, pode fazer também a função de volante, a exemplo do que acontece também em seu clube.

“Não sei (se atuarei mais à frente), ainda não conversei com o professor. Ele não apresentou essa proposta. Mas, assim como sempre me coloco à disposição do clube, na seleção não é diferente. O professor já me testou na lateral e sabe que pode contar comigo onde precisar. Mas a seleção tem bastante variedade. O Casemiro não está, mas os jogadores que estão aqui podem fazer isso muito bem. Diferente do clube, que quando faltou uma peça, eu pude ajudar meus companheiros. O professor ainda não falou sobre isso. Mas se precisar, vou estar disponível”, disse.

O time comandado por Tite encerra o ano contra o Uruguai, na próxima sexta-feira (16), no Emirates Stadium, em Londres, e depois se desloca até Milton Keynes para enfrentar Camarões, na terça seguinte (20).

Futebol