PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Presidente explica saída de Gallo e cogita efetivar Marques no Atlético-MG

Marques e Sérgio Sette Câmara em coletiva no Atlético-MG - Bruno Cantini/Atlético-MG/Divulgação
Marques e Sérgio Sette Câmara em coletiva no Atlético-MG Imagem: Bruno Cantini/Atlético-MG/Divulgação

Thiago Fernandes

Do UOL, em Belo Horizonte

31/10/2018 17h15

A pressão da torcida e a queda de desempenho do Atlético-MG no segundo semestre fizeram o presidente Sérgio Sette Câmara optar pela saída de Alexandre Gallo e a entrada de Marques no Cargo. Em entrevista coletiva na tarde desta quarta-feira (31), o mandatário falou sobre a mudança feita no cargo de diretor de futebol e revelou que o ídolo da torcida ocupará a função de forma interina.

"Diante de uma queda que o time sofreu nas últimas rodadas, o segundo semestre foi muito aquém do que tivemos no primeiro semestre, entendi por encerrar esse ciclo do Alexandre Gallo e convoquei o Marques para nos ajudar nessa reta final de Campeonato Brasileiro. A condição do Marques é de diretor de futebol interino. Ele prontamente atendeu. Ele tem muita coisa para agregar e fazer com que o time entregue resultados para que a gente consiga buscar a tão sonhada vaga para a Copa Libertadores 2019", declarou.

A efetivação de Marques no cargo não está descartada por Sérgio Sette Câmara. O cartola aguarda o trabalho do novo responsável pelo futebol para definir a sua situação à frente do time.

"Acho que cada um de nós que está aqui, um dia, teve uma chance de mostrar seu trabalho. Se você foi competente, você agarrou a sua vaga. O que estou dizendo para você é que o Marques veio na forma muito clara de um interino. A possibilidade de ele continuar ou não, não depende só da questão de estar ou não classificado na Libertadores. Vai depender de outros fatores que vou analisar. Esse é um cargo que é muito da mão do presidente", comentou.

Promovido ao profissional até dezembro de 2018, Marques não terá a possibilidade de efetuar contratações. A incumbência do novo diretor, portanto, é melhorar o ambiente com foco na melhora de rendimento de seus atletas. Para isso, o ex-atacante quer que a torcida volte a apoiar em vez de fazer críticas, como aconteceu recentemente em três protestos.

"O Atlético não é uma novidade para mim. Momentos turbulentos, eu já vivi inúmeros aqui. Essa é uma oportunidade, mesmo que de forma interina, tenho absoluta certeza que o convite não seria feito se ali na base, onde temos o trabalho concentrado, não fosse feito com excelência. Por ter jogado neste clube por quase 400 vezes, entendo que o momento pede união de clube, direção, atletas, mas acima de tudo da torcida. Eu não tenho outra fórmula que não seja convocar o torcedor no sábado. Os atletas estão cientes do apelo que faria para vocês neste momento. São sete jogos, acreditamos que a vaga é possível. Com o apoio da torcida, temos tudo pra fazer uma arrancada", declarou. 

Futebol