PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Além de reforço medalhão, Cuca avalia Série B, extinto sub-23 e esquecidos

Cuca pretende ver atletas do extinto sub-23 em ação no Campeonato Paulista - Marcello Zambrana/AGIF
Cuca pretende ver atletas do extinto sub-23 em ação no Campeonato Paulista Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

29/10/2018 04h00

O técnico Cuca e a diretoria do Santos já iniciaram o planejamento para a próxima temporada. O clube paulista buscará reforços, mas não deve abrir tanto os cofres para montar um “esquadrão”. A ideia é contratar um ou dois “medalhões”, além de reforços mais modestos, analisados na Série B do Campeonato Brasileiro e até do extinto sub-23 do clube.

Os medalhões que interessam são velhos conhecidos da torcida santista e do futebol paulista: Robinho, do Sivasspor, da Turquia, Diego, do Flamengo, e Vagner Love, do Besiktas, da Turquia. No entanto, o alto custo é o principal empecilho para a contratação do trio.

Por conta disso, Cuca já trabalha no mercado interno e até dentro do próprio clube para reforçar o time. Ele espera avaliar alguns atletas do extinto time B do Santos no Campeonato Paulista para utilizá-los ainda no primeiro semestre.

Como revelou o UOL Esporte com exclusividade, o time B acabou e agora os dirigentes santistas buscam equipes para emprestar os atletas que possuem contratos longos. A maioria, com contrato mais curto, será dispensada.

O zagueiro Sabino, o meia Gabriel Calabres e o atacante Diego Cardoso são as principais esperanças de um ex-time B que recuperou Lucas Veríssimo e revelou Vitor Bueno e Diego Pituca.

“O trabalho de reformulação, se é que vai ocorrer, vai ser daqui para frente. O Santos é um time que tem muitos jogadores emprestados, tem os do sub-23 (time B) como incógnita, tem que se fazer um orçamento, planejar o futebol. Lógico que sempre estamos assistindo jogos, adoro ver a Série B, e acompanhamos, assim como os do sub-23”, afirmou Cuca.

Ainda olhando para dentro do clube, Cuca promete dar oportunidades aos atletas esquecidos atualmente no elenco profissional: casos de Bryan Ruiz, Copete, Eduardo Sasha, Arthur Gomes, Daniel Guedes e até do volante Guilherme Nunes.

Este último, por exemplo, não atuou uma partida sequer sob o comando de Cuca. Guilherme Nunes defendeu o Santos em apenas três jogos como profissional, todos eles sob o comando do técnico Jair Ventura, hoje no Corinthians.

Ele ficou no banco de reservas em 13 partidas, mas em nenhum deles entrou durante o jogo. Este ano, o volante disputou a Copa São Paulo com o Santos e foi titular em todos os jogos. O time foi eliminado nas quartas de final, derrota por 4 a 0 para o Internacional. Guilherme Nunes não fez gols, mas foi capitão da equipe. Vale lembrar que ele colecionou convocações para as seleções sub-17 e sub-20.

“Cada jogo tem um pedido. Saímos para uma partida pensando nas trocas, sempre penso para não perder tempo no jogo, pois dez segundos num jogo pode fazer você perder. O Guilherme Nunes joga na função do Pituca. Se o Pituca der a brecha, ele joga. O Pituca tem que trabalhar para não dar a brecha a ele. É assim que trabalhamos. Motivando os reservas”, disse Cuca.

“Daqui a pouco vou conseguir colocar o Copete, o Sasha, jogadores que hoje estão no mesmo nível dos que estão jogando. Tem o Arthur (Gomes), também, todos os zagueiros. O pessoal está evoluindo muito graças ao treinamento”, concluiu.

Futebol