Topo

Futebol


"Responsável" por poderes de Neymar em HQ, tatuador sonha com Hollywood

Divulgação/NJR Comics
Imagem: Divulgação/NJR Comics

José Edgar de Matos

Do UOL, em São Paulo (SP)

01/10/2018 04h00

Recentemente, Neymar levou a público uma nova faceta. Além do jogador de futebol e influenciador digital, com milhões de seguidores nas redes sociais, o atacante do Paris Saint-Germain se tornou herói de HQ, em linha produzida por um estúdio norte-americano. Nas histórias, o superpoder vem das inúmeras tatuagens do craque, grande parte produzidas por Adão Rosa.

Primeiro tatuador de Neymar, Adão é parte integrante do projeto das histórias em quadrinhos; afinal, a partir da arte dele, o craque dos campos usufrui dos poderes que fazem-no combater o mal nas páginas das histórias. O projeto inédito do grupo responsável por administrar a carreira do camisa 10 do PSG, no entanto, só está começando, segundo o profissional.

“Jamais pensei que minhas tatuagens iriam para os quadrinhos. É um projeto bem grande com os americanos, vão investir muito dinheiro, um negócio sem limite. O objetivo é até virar um filme em Hollywood. Estão pensando muita coisa; vou para Las Vegas para se reunir com eles. É tudo muito segredo ainda; só me falaram que é um projeto grande [risos]”, contou o tatuador, em conversa com o UOL Esporte.

Há dentro do projeto a motivação de aproveitar da imagem de Neymar para atingir um novo público nos Estados Unidos. As histórias estão disponíveis online e impressa pelo site neymarjrcomics

Leão na mão foi ideia de Neymar, contou o tatuador em conversa com o UOL - Divulgação/NJR Comics
Leão na mão foi ideia de Neymar, contou o tatuador em conversa com o UOL
Imagem: Divulgação/NJR Comics

“Querem que a imagem das tatuagens no futebol melhore lá. É dar certo nos quadrinhos para ganhar os filmes. Devem fazer as tatuagens em camisetas. Precisa dar certo nos quadrinhos para chegar a Hollywood [risos]”, acrescentou.

Adão desenhou 27 tatuagens no corpo de Neymar. A mais simbólica delas, pelo menos para os quadrinhos, é o leão localizado na mão esquerda, um dos xodós de Adão e primeiro desenho a se transformar em poder para o super-herói que em sua faceta real se destaca como um dos maiores jogadores do planeta.

“Ele simplesmente chegou com a ideia e disse que queria um leão na mão. Aí mandou as passagens e fomos lá para Paris. Esta tatuagem gerou outras coisas: o perfume Diesel veio procurar a gente para royalties, que vão usar a mão dele com o leão dourado como frasco de perfume. Mas o leão é só a primeira, depois vão vir outras nos quadrinhos”, contou o tatuador.

Na primeira história, os antagonistas sequestram Rafaella e agridem o jogador, que ganha a tatuagem de leão no hospital enquanto se recupera dos traumas físicos. O desenho na pele traz superpoderes e permite ao craque do futebol lutar pelo resgate da irmã. É só a primeira aventura de uma série que, consequentemente, vai explorar o trabalho de Adão.

Neymar nos Vingadores? Cartunista não crê em grande impacto no mercado

Neymar tem as histórias de super-herói como um dos hobbies. O craque não nega a admiração por Batman e os personagens que superaram o nicho restrito a quem lia as HQs da Marvel e da DC, referências no assunto. A chegada de alguém com tanto marketing e espaço, consequentemente, poderia aumentar o interesse. Não na visão de Gustavo Duarte.

Cartunista há 21 anos e com trabalhos assinados para Marvel e DC, Gustavo Duarte vê a entrada de Neymar como algo ainda mais nichado, sem potencial de impacto para aumentar este mercado como os filmes de sucesso do Universo Cinematográfico Marvel ou a trilogia do Batman de Christopher Nolan.

“Pode ser interessante para os fãs de Neymar, só. Ou melhor, uma intersecção de quem gosta de quadrinho e quem gosta do Neymar. De maneira alguma acho que pode ter impacto no mercado, pois o Neymar consegue as coisas com o futebol. Não vão passar a ler quadrinhos de heróis pelo gibi do Neymar”, opinou Duarte, que assinou histórias do tamanho dos Guardiões da Galáxia e da Liga da Justiça.

“Tem uma geração que gosta destes heróis justamente pelos filmes e videogames; imagino que este seja o caso de Neymar. Os filmes fizeram muito sucesso e aproximaram um público que não lia. Mas, claro, acho legal um cara grande e conhecido como ele em fazer um selo de quadrinho. (...) Pode ser muito bom, ou ser uma bomba”, observa.

Consolidado no mercado das HQs, Gustavo Duarte tem dúvidas em relação ao projeto de Neymar. O estúdio escolhido para desenvolver as histórias (Fan the Flame), por exemplo, não possui um site oficial e grande representatividade no mercado – há apenas o logo no endereço da editora na internet.

Monstros, de Gustavo Duarte, tem Neymar e Ganso fugindo no bairro do Gonzaga - Reprodução
Monstros, de Gustavo Duarte, tem Neymar e Ganso fugindo no bairro do Gonzaga
Imagem: Reprodução

Ainda sem ler as histórias, Gustavo Duarte ainda brinca que, com a primeira apresentação do herói Neymar, seria improvável ver o brasileiro, quem sabe, fazendo parte dos Vingadores. Nem a “proximidade” do perfil com o herói Punho de Ferro, da Marvel, sustentaria a ida do craque para os grandes estúdios.

“[risos] Não teria não. Talvez ele pudesse fazer parte do X-Force, de um subgrupo assim. Obviamente, como jogador de futebol, ele teria todo o talento do mundo para fazer parte dos Vingadores. Mas, com os poderes, acho que particularmente não”, brincou o cartunista, que já retratou o hoje craque do PSG em uma história de sua autoria.

“Fiz em 2012, no meu primeiro livro [Monstros, Cia das Letras]. Eram monstros japoneses invadindo Santos. Tem uma parte da história que os monstros entram pela Praia do Gonzaga, e o Ganso e o Neymar saem correndo deles até a Praça da Independência”, relembra, divertindo-se com a evolução de quem fugia de monstros para a nova faceta de herói.

Mais Futebol