PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Ídolo de Messi programa encontro e tenta retorno do camisa 10 à seleção

Messi é fã declarado de Aimar, hoje integrante da comissão técnica da Argentina - Gal Schweizer/Getty Images
Messi é fã declarado de Aimar, hoje integrante da comissão técnica da Argentina Imagem: Gal Schweizer/Getty Images

Do UOL, em São Paulo

30/09/2018 04h00

A seleção argentina sabe, desde o fim da Copa do Mundo, que não poderá contar com Messi nos amistosos programados para o resto deste ano. Mas enquanto o técnico interino Lionel Scaloni convoca os jogadores e comanda a equipe nesses compromissos, um plano paralelo está em curso para garantir que Messi estará de volta à equipe a partir de 2019. Conversas e relações antigas de confiança são as armas da federação argentina.

Integrante da atual comissão técnica interina, Pablo Aimar é o grande trunfo da seleção com Messi. Ele é um dos maiores ídolos do camisa 10 do Barcelona, com quem nutre uma relação de amizade. Por isso, Aimar programou que irá se encontrar com Messi entre outubro e novembro para ter uma conversa franca sobre seu futuro, segundo informações do "El Confidencial".

Até Jorge Sampaoli, técnico da equipe na Copa, percebeu a influência positiva de Aimar sobre Messi, tanto que no primeiro semestre o chamou para integrar o corpo técnico da seleção. Aimar, na época, comandava o time sub-17, mas seu bom trânsito com os jogadores e a admiração que desperta em Messi convenceram Sampaoli que seria positivo tê-lo por perto.

Com a demissão de Sampaoli depois do Mundial, o presidente da federação argentina, Claudio Tapia, manteve dois integrantes da comissão: Aimar e Lionel Scaloni, que agora está à frente da seleção e antes também já tinha bom relacionamento com Messi. Scaloni, inclusive, chegou a defender o camisa 10 em desavenças dele com um auxiliar próximo de Sampaoli, Sebastián Becaccece.

“É óbvio que eu falo com Messi, todo mundo sabe que eu tenho um bom relacionamento. Não é preciso dizer que eu falo com ele. E continuamos pensando a mesma coisa. Que por agora ele não vem, não estará conosco”, disse esta semana Scaloni, reiterando que Messi não será convocado para os amistosos contra Brasil e Iraque, em outubro.

Mas embora Scaloni tenha a simpatia de Messi, Aimar está mais à frente nessa escala. E uma camisa especial guardada na casa do camisa 10 do Barcelona é uma prova simbólica disso.

Messi sempre disse que Aimar era sua inspiração quando garoto. Quando ainda começava no futebol espanhol, ele foi adversário de Aimar, então no Valencia, num jogo em 2004. Ao fim da partida, Aimar perguntou se Messi queria sua camisa e ouviu uma resposta afirmativa. Tal camisa é uma das lembranças mais valorizadas pelo craque do Barcelona, de acordo com o “El Confidencial”.

Na missão de fazer Messi desejar estar na seleção argentina a partir do ano que vem, um dos grandes obstáculos a serem enfrentados por Aimar e Scaloni será a família do jogador. As críticas feitas ao craque durante e após a Copa fizeram seu entorno questionar a presença dele com a camisa do país. Por isso, toda conversa e carinho nos diálogos que acontecerão entre seleção e Messi podem ser decisivos.

Futebol