PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Rojas encara com naturalidade oscilação do São Paulo e celebra volta ao Rio

Rojas é um dos destaques do São Paulo para a partida deste domingo, contra o Botafogo, no Rio - Ale Cabral/AGIF
Rojas é um dos destaques do São Paulo para a partida deste domingo, contra o Botafogo, no Rio Imagem: Ale Cabral/AGIF

José Eduardo Martins

Do UOL, em São Paulo

29/09/2018 04h00

O São Paulo tenta retomar o caminho das vitórias neste domingo, no Rio de Janeiro, contra o Botafogo. Para tentar abrir vantagem na liderança do Campeonato Brasileiro, o técnico Diego Aguirre vai contar com o retorno de uma das peças mais importantes do elenco tricolor. Após cumprir suspensão automática, Joao Rojas está liberado para atuar. O equatoriano encara com naturalidade o fato de a equipe ter empatado os dois últimos confrontos e ter apenas a 12ª campanha no returno do nacional (com duas vitórias, quatro empates e uma derrota).

"Todo time oscila durante a competição, é normal, porém estamos na liderança e queremos mantê-la. Precisamos continuar nesta pegada até o fim do campeonato. Todo jogo é decisão. Agora é seguir fazendo boas partidas fora de casa e acertar os erros para poder voltar a vencer dentro do Morumbi", disse Rojas em entrevista ao UOL Esporte.

O jogador tem boas recordações do Rio de Janeiro. A sua estreia pelo São Paulo aconteceu no Maracanã, na vitória por 1 a 0 sobre o então líder Flamengo. O equatoriano foi considerado um dos principais destaques do confronto e passou a ser visto como titular da equipe.

"Guardo boas lembranças de jogar no Rio de Janeiro, por ter tido uma boa atuação e fico na expectativa de poder repeti-la e ajudar o São Paulo nesse jogo contra o Botafogo", disse Rojas, que celebra a rápida adaptação ao clube.

"Eu me considero mais uma peça dessa engrenagem que é o São Paulo. Somos um grupo. Fico feliz pela minha rápida adaptação e seguimos focados para buscar o título do Brasileirão."

Para Rojas, a oscilação do São Paulo pode ser explicada também pela qualidade da competição. Com a experiência de ter atuado em seu país, no México e defendido o Equador na Copa do Mundo de 2014, ele ressalta o equilíbrio do Brasileirão.

"Com certeza é o campeonato mais disputado do mundo. Faltam 12 rodadas para o torneio acabar e pelo menos cinco equipes estão no páreo atrás desse título. Isso é diferente de qualquer outro país. Não tem jogo fácil, todo adversário é competitivo e nossa sequência prova isso. Depois do Botafogo, fazemos o clássico com o Palmeiras e ainda temos o confronto direto com o Inter lá no Sul. Toda rodada é uma batalha, mas temos que estar sempre na briga pela liderança", finalizou o jogador de 29 anos.

Futebol