PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Corintiana que hostilizou palmeirense se diz arrependida e cita ameaça

Karla Torralba

Do UOL, em São Paulo

28/09/2018 11h23Atualizada em 23/07/2019 15h40

Os vídeos de torcedores corintianos hostilizando duas palmeirenses em uma estação de metrô em São Paulo na última quarta-feira (26), que viralizaram nas redes sociais, já começam a trazer repercussões aos envolvidos. Em entrevista ao UOL Esporte, uma das mulheres que aparecem nas imagens gravadas por celulares relatou que está sendo ameaçada de morte.

A torcedora corintiana, que teve seu nome omitido pela reportagem por motivos de segurança, conversou brevemente com o UOL Esporte pelo Facebook. Ela contou que teve a rede social "invadida" por comentários e que seu perfil foi divulgado para grupos de palmeirenses, que passaram a hostiliza-la.

"São ameaças de morte", contou a torcedora corintiana. A reportagem questionou se ela havia se arrependido sobre o caso. A resposta é positiva: "me arrependi no momento que postaram o vídeo e me ameaçaram".

Nas imagens, as torcedoras palmeirenses aparecem dentro de um vagão repleto de corintianos. Uma delas é encarada pela corintiana, que a manda tirar a camisa e mexe em seu boné. Outros vídeos mostram as duas palmeirenses recebendo chutes enquanto deixam o vagão.

"Ela entrou no vagão e, quando os caras [corintianos] cantaram a música, ela mandou tomar no c... Aí começaram a discutir. Ela ainda perguntou se queria que tirasse a blusa e ficasse pelada. Falei que não era necessário, porém não deveria ter entrado no vagão. As amigas tiraram ela [do trem] na próxima estação. Estou sendo ameaçada como se tivesse agredido ela?, disse a torcedora corintiana.

O UOL Esporte tentou contato com a palmeirense que aparece nas imagens discutindo com a corintiana, mas não obteve retorno até a publicação da reportagem.

Na tarde desta sexta (28), o Palmeiras soltou nota oficial repudiando a violência contra torcedoras do clube. "A Sociedade Esportiva Palmeiras não pode se omitir diante das cenas de agressão a garotas trajando camisas do Palmeiras que estão sendo veiculadas nas mídias sociais. Condenamos qualquer tipo de violência e entendemos que nesse caso, em particular, nosso papel como instituição é oferecer apoio às famílias das jovens, bem como, reforçar que cabe somente às autoridades competentes a devida investigação e encaminhamento do caso nos termos da lei".

Em seu Twitter, o Corinthians lamentou o ocorrido na noite de quinta (27). "O Corinthians lamenta e repudia qualquer ato de violência, especialmente contra a mulher. O clube pede desculpas à torcedora palmeirense que foi covarde e lamentavelmente agredida no metrô. #RespeitaAsMinas".

Já o Metrô de São Paulo enviou nota à reportagem e afirmou que as palmeirenses não procuraram ajuda de funcionários da empresa.

"O Metrô lamenta o ocorrido e informa que a usuária citada pela reportagem não procurou nenhum funcionário do Metrô para o registro da ocorrência. Em casos como este, o Metrô recomenda que os usuários procurem os funcionários da estação para que a ocorrência seja registrada junto às autoridades policiais. O Metrô conta com mais de três mil agentes de segurança e de estação preparados para acolher usuários vítimas em situações como esta e deter os agressores. As denúncias também podem ser feitas pelo serviço telefônico SMS (9 7333-2252) e pelo aplicativo de celular METRÔ CONECTA que ajudam na identificação dos agressores e garantem total anonimato aos denunciantes?, diz a nota.

Futebol