PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Palmeirenses são hostilizadas por corintianos no metrô em São Paulo

Do UOL, em São Paulo (SP)

27/09/2018 19h45

Espalharam-se nas redes sociais nesta quinta-feira (27) vídeos em que torcedoras do Palmeiras são encurraladas e hostilizadas por corintianos no metrô em São Paulo. O incidente aconteceu na última terça (25), em uma estação da Linha Vermelha, ligação entre as zonas Oeste e Leste e meio de acesso ao estádio alvinegro, em Itaquera, que recebeu treino aberto na véspera da semifinal da Copa do Brasil, contra o Flamengo.

As imagens mostram duas mulheres com camisas alviverdes cercadas por corintianos em uma das portas do vagão. À frente, uma torcedora as ofende e tenta exigir que tirem o uniforme do rival - ela chega a puxar o boné de uma delas, que recupera a peça. Gritos de ordem e xingamentos são ouvidos.

Quando o metrô para na estação, que não é possível ser identificada nas imagens, as palmeirenses são forçadas a sair. Um vídeo da confusão por outro ângulo mostra um homem, usando camisa branca do Corinthians, tentando acertar um chute em uma das rivais.

Os vídeos geraram revolta entre palmeirenses. Um dos perfis que compartilharam imagens da confusão no Twitter citou recente campanha apoiada pelo Corinthians contra a violência à mulher. "#RespeitaAsMina mas se ela for rival não, né?", questionou.

Outros perfis espalharam reproduções do rosto do corintiano que tentou chutar uma das palmeirenses na tentativa de identificá-lo e denunciá-lo.

Na noite desta quinta, o Metrô de SP emitiu nota lamentando a atitude dos usuários do serviço e ponderou que as vítimas não procuraram funcionários ou seguranças da empresa, mas não revelou em qual estação ocorreu o problema.

"O Metrô lamenta o ocorrido e informa que a usuária citada pela reportagem não procurou nenhum funcionário do Metrô para o registro da ocorrência. Em casos como este, o Metrô recomenda que os usuários procurem os funcionários da estação para que a ocorrência seja registrada junto às autoridades policiais. O Metrô conta com mais de três mil agentes de segurança e de estação preparados para acolher usuários vítimas em situações como esta e deter os agressores. As denúncias também podem ser feitas pelo serviço telefônico SMS (9 7333-2252) e pelo aplicativo de celular METRÔ CONECTA que ajudam na identificação dos agressores e garantem total anonimato aos denunciantes", informa o comunicado.

Confira algumas reações sobre o caso no Twitter:

Futebol