PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Inter vive expectativa e pode ver Guerrero liberado nesta terça-feira

Paolo Guerrero pode ser liberado para voltar a atuar e estrear pelo Internacional - Jean-Christophe Bott/Keystone via AP
Paolo Guerrero pode ser liberado para voltar a atuar e estrear pelo Internacional Imagem: Jean-Christophe Bott/Keystone via AP

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

25/09/2018 04h00

Paolo Guerrero pode ser liberado nesta terça-feira (25) para atuar novamente. Em contato com a reportagem do UOL Esporte, os advogados do jogador disseram que não há uma data específica, mas a tendência é que a nova liminar que pede sua autorização para jogar seja respondida até o fim do dia. Enquanto isso, o Internacional vive expectativa de ter à disposição sua principal contratação para o Campeonato Brasileiro - ele ainda nem sequer estreou. 

Há um mês sem poder treinar no clube, o peruano aguarda autorização legal para voltar a Porto Alegre e se apresentar. Com profissionais contratados de forma particular, ele mantém trabalhos físicos e, dentro do possível, relação com ações de jogo.

Mas não há qualquer informação prévia sobre o retorno do centroavante. Em contato com a reportagem do UOL Esporte, um dos advogados do jogador, Julio Garcia, disse que a tendência aponta para resposta nesta terça, mas que só serão definidos os próximos passos de Guerrero a partir da manifestação do Tribunal Federal Suíço.

Na última semana, o Internacional mostrou-se otimista na liberação do atacante de 34 anos, alijado de atuar por uma suspensão por doping. Em contato com a reportagem do UOL Esporte, o vice jurídico do Colorado, Gustavo Juchem, informou que a decisão do relator sobre o pedido de efeito suspensivo ao recurso do atleta contra a decisão da CAS (Corte Arbitral do Esporte) deveria ser proferida neste prazo.

Se for liberado nesta terça, Guerrero poderá chegar ao Brasil entre quarta e quinta, colocando-se à disposição de Odair Hellmann para trabalhos e jogos. Não irá, de cara, entrar no time, mas poderia ser relacionado para a partida de domingo contra o Vitória. 

O centroavante tem condições legais de jogo, já que o vínculo de três anos com o Internacional foi publicado no Boletim Informativo Diário (BID) em tempo hábil para inscrição no Brasileiro.

"A gente está acompanhando, sabe que ele e os advogados entraram com um recurso na Suíça. Vamos esperar. Mas o nosso foco, no departamento de futebol, é o grupo que está jogando, o grupo que nos trouxe até aqui. A gente torce pelo Paolo, vai ser mais um jogador à disposição para ajudar. Mas o foco no futebol é com o grupo que temos aqui", disse o vice de futebol Roberto Melo.

A liminar não é o último episódio do caso. Com caráter provisório, ela concede efeito suspensivo e o autoriza a atuar até o julgamento do recurso apresentado pela defesa do atleta na Corte Arbitral do Esporte, marcado para outubro. 

Guerrero esteve recentemente participando de uma inspeção no Swisshotel, onde ocorreu a contaminação de um chá pela substância proibida de acordo com sua tese de defesa. "Estou muito indignado de voltar neste local onde passei mal. Estou punido por oito meses a mais e lutando pela minha inocência. É óbvio que querem acabar com a minha carreira. Queria estar no meu país jogando, celebrando, mas estou aqui passando vergonha. Não estou bem. Estou indignado por passar por este momento", disse o jogador, ao jornal El Bocón na ocasião. 

Entenda o caso

Guerrero foi julgado e punido pela Fifa com um ano de afastamento por conta de um teste positivo de doping para substância benzoilecgonina, principal metabólico da cocaína e da folha de coca. O exame foi feito após a partida entre Peru e Argentina em Buenos Aires, válida pelas Eliminatórias para Copa do Mundo, disputada em outubro de 2017.

Em seguida, entrou com recurso por meio do Comitê de Apelações da entidade e reduziu a pena, em um primeiro momento, para seis meses. Em maio, porém, o caso foi à Corte Arbitral do Esporte (CAS), que aplicou 14 meses de suspensão. Guerrero foi buscar seus direitos além do âmbito esportivo e conseguiu efeito suspensivo no Tribunal Federal Suíço no fim do mesmo mês.

Com a liberação provisória, atuou pelo Peru na Copa do Mundo e, desde o regresso do Mundial, jogou mais quatro partidas pelo Flamengo. Em seguida, foi contratado pelo Internacional e tinha estreia marcada para o jogo contra o Palmeiras. No entanto, viu cair a liminar que o liberava para atuar e voltou a estar proibido de qualquer atividade como profissional do futebol.

O vínculo de Guerrero está, desde então, suspenso. Sem pagar salários, como previsto no acordo, o Internacional ainda poderá ampliar o contrato do atleta em tempo correspondente ao período de afastamento.

Com a punição em vigor, o centroavante só poderá voltar jogar ou mesmo treinar utilizando a estrutura do clube em abril de 2019. O objetivo, porém, é reverter o quadro e liberá-lo para atuar ainda neste ano. 

Futebol