PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Brasileiro chega de "caveirão" da polícia para clássico na Indonésia

Brunno Carvalho

Do UOL, em São Paulo

25/09/2018 07h52

O brasileiro Renan Silva chegou há menos de três meses no Persija Jakarta, da Indonésia, mas já foi tempo suficiente para descobrir o clima de tensão em dia de clássico contra o Persib Bandung. No último domingo (23), o jogador formado nas categorias de base do Flamengo chegou ao estádio do rival com seus companheiros dentro de um carro blindado da polícia, o popular "caveirão".

A medida fez parte do esquema de segurança feito pelas autoridades locais para evitar grandes problemas nas horas prévias ao duelo. Os jogadores tiveram que usar o "caveirão" quando chegaram ao hotel e quando saíram dele para o estádio.

Brasileiro Renan Silva chega de "caveirão" para partida na Indonésia - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Imagem: Arquivo Pessoal

"Eu nunca tinha vivenciado o que vivi aqui. Desde a chegada à cidade (Bandung) fomos muito hostilizados pela torcida rival. No caminho para o estádio, eles tentaram tombar o 'caveirão' conosco dentro. Foi tenso", explicou Renan ao UOL Esporte.

Dentro do 'caveirão', restava a Renan torcer para que nada de pior acontecesse. "Ficamos com um pouco de receio de algo acontecer, mas a polícia e os seguranças particulares conseguiram conter tudo. Chegamos com um clima hostil e adrenalina lá em cima, mas esquecemos tudo quando entramos em campo".

A tensão vista na chegada da partida resultou em morte. Um torcedor do Persija Jakarta, de nome Haringga Sirla, foi espancado por simpatizantes do Persib Bandung e não resistiu. Oito pessoas foram consideradas suspeitas pelo crime pelas autoridades, de acordo com o jornal local "Kompas".

"É complicado, pois envolve muita coisa extra-campo, existe muita rivalidade. Um torcedor morreu e há pessoas detidas, isso é o chato do espetáculo", lamentou Renan Silva, que afirmou que o clima de tensão não é corriqueiro no futebol indonésio, sendo presente apenas em dias de clássicos.

Dentro de campo, o time de Renan Silva perdeu por 3 a 2. O clima hostil também entre os atletas resultou em cinco cartões amarelos para cada lado durante a partida. O brasileiro foi um dos advertidos pela arbitragem.

"Foi um jogo muito truncado, com muitas faltas, até pelo clima que se instalou antes. Mas acabou sendo um bom jogo".

Renan Silva fez todo seu processo de formação no Flamengo. Aos 29 anos, o meia coleciona passagens por clubes como Bahia e Goiás no Brasil. Fora do país, ele já atuou na Arábia Saudita, Irã, Qatar, Kuwait, Emirados Árabes e Tailândia antes de chegar à Indonésia.

Futebol