PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Abramovich é visto como "ameaça à segurança" por polícia suíça, diz jornal

Russo Roman Abramovich se tornou proprietário do Chelsea em 2003 - Dylan Martinez/Reuters
Russo Roman Abramovich se tornou proprietário do Chelsea em 2003 Imagem: Dylan Martinez/Reuters

Do UOL, em São Paulo

25/09/2018 20h51

Com problemas para se manter na Inglaterra, o bilionário russo Roman Abramovich, dono do Chelsea desde 2003, foi impedido de morar na Suíça após a polícia local o classificar como uma "ameaça à segurança pública e um risco à reputação do país". O real motivo pela recusa da Suíça foi publicado pelo conglomerado de comunicação local Tamedia, nesta terça-feira (25). O grupo venceu uma batalha de sete meses contra Abramovich, que pedia sigilo sobre a resposta do governo.

A empresa de mídia tomou conhecimento da recomendação da polícia em fevereiro. Na carta, escrita a pedido do controle de imigração, as autoridades levantam "suspeitas sobre lavagem de dinheiro e contatos com organizações criminosas". A polícia ainda pontua que, "pelo menos em parte, os bens do candidato são de origem ilegal".

As informações são baseadas em investigações policiais e não têm relação com qualquer julgamento realizado na Suíça.

Em resposta à publicação, o advogado de Abramovich, Daniel Glasl, classificou como ilegal a publicação das informações sigilosas. Ele também afirmou que solicitará uma retificação da Polícia Federal da Suíça e entrará com um processo criminal contra os responsáveis pela disseminação dos dados.

"Qualquer sugestão de que o sr. Abramovich esteja envolvido em lavagem de dinheiro ou com organizações criminosas é completamente falsa", declarou o jurista.

"Sr. Abramovich nunca foi julgado por participar de lavagem de dinheiro e não tem antecedentes criminais. Ele nunca teve, ou foi acusado de ter, conexões com organizações criminosas", completou Glasl.

Com a crise diplomática entre Reino Unido e Rússia, iniciada após a morte do espião russo Sergei Skripal, na Inglaterra, o fluxo de capital entre os dois países diminuiu. Sendo assim, Abramovich decidiu não renovar seu visto para permanecer no território inglês.

Em maio, ele conseguiu cidadania israelense, o que o permite ficar por até seis meses por ano na Inglaterra. No entanto, caso queira trabalhar no país, ele teria que entrar com outro pedido de visto.

Em meio à indefinição, chegou a circular rumores de que ele estaria decidido a vender o Chelsea. De acordo uma matéria da Bloomberg, desta terça, o russo teria rejeitado uma oferta de 2,3 bilhões de dólares (R$ 9,37 bilhões) pelo clube e estaria buscando um negócio próximo aos 3 bilhões de dólares (R$ 12,22 bilhões).

De acordo com a lista de bilionários de 2016, elaborada pela revista Forbes, Abramovich teria um patrimônio de 7,6 bilhões de dólares (R$ 30,97 bilhões), o que faria dele a 151ª pessoa mais rica do mundo, a 13ª entre os russos. 

Futebol