PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Por que Neymar não recebeu voto no prêmio de melhor do mundo da Fifa

Paul ELLIS / AFP
Imagem: Paul ELLIS / AFP

Thiago Rocha

Do UOL, em São Paulo (SP)

24/09/2018 18h52

Minutos após consagrar Marta e Luka Modric como os atletas do ano, em cerimônia realizada em Londres nesta segunda-feira (24), a Fifa divulgou a relação de votos por país nas principais categorias do The Best. Nas redes sociais, causou certa estranheza o fato de Neymar não ter recebido uma menção sequer na eleição de melhor jogador do mundo.

Sim, é fato. Neymar não foi votado pelo colégio eleitoral do The Best, e por um motivo simples: ele não poderia receber voto.

Ao contrário de edições anteriores do prêmio da Fifa, em que a escolha dos melhores da temporada era "livre", sem restrições para opções de voto, em 2018 quem dividiu a preferência do eleitorado foram apenas os dez jogadores pré-selecionados para a final do The Best.

No fim de julho, a Fifa divulgou a lista de concorrentes sem Neymar entre eles: Cristiano Ronaldo, Kevin De Bruyne, Antoine  Griezmann, Eden  Hazard, Harry Kane, Kylian Mbappé, Lionel Messi, Luka Modric, Mohamed Salah e Raphael  Varane.

Na primeira etapa da escolha, um grupo de notáveis analisou performances dos potenciais candidatos ao The Best entre 3 de julho de 2017 e 15 de julho de 2018. Na parte final desse período, Neymar passou três meses sem jogar por conta de uma fratura no pé direito, o que de certa forma explicaria a ausência no top 10.

Foi a primeira vez desde 2011 que o atacante do Paris Saint-Germain não concorreu à honraria da Fifa. Nas edições de 2015 e 2017, Neymar ficou entre os três melhores do mundo. 

Pelo mesmo motivo, porque não ficou entre os 11 em sua categoria, o técnico da seleção brasileira, Tite, também não recebeu votos no prêmio de melhor treinador da temporada.

Com candidatos previamente definidos à honraria, a escolha do vencedor do The Best se deu com peso igual às categorias do colégio eleitoral: 25% para votação popular (via site da Fifa), 25% para capitães das seleções nacionais, 25% para os treinadores e 25% para jornalistas dos países filiados à entidade.

Na premiação desta segunda-feira, Modric recebeu 29,05% dos votos, contra 19,08% de Cristiano Ronaldo e 11,23% de Salah. Já a brasileira Marta faturou a honraria pela sexta vez, a maior vencedora da história do evento, com 14,73%.

Confira a lista de vencedores na premiação The Best:

Melhor jogador (futebol masculino): Modric
Melhor jogadora (futebol feminino): Marta
Premio Puskás (gol mais bonito): Mohamed Salah
Melhor técnico (futebol masculino): Didier Deschamps
Melhor técnico (futebol feminino): Reynald Pedros
Melhor goleiro: Thibaut Courtois
Melhor torcida: Peruanos na Copa do Mundo
Fair Play: Lennart Thy
Seleção da temporada: David De Gea (Manchester United/Espanha); Dani Alves (PSG/Brasil), Sergio Ramos (Real Madrid/Espanha), Raphael Varane (Real Madrid/França) e Marcelo (Real Madrid/Brasil); Luka Modric (Real Madrid/Croácia), N’Golo Kanté (Chelsea/França) e Eden Hazard (Chelsea/Bélgica); Lionel Messi (Barcelona/Argentina), Kylian Mbappé (PSG/França) e Cristiano Ronaldo (Juventus/Portugal)

Futebol