PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Mano fala de VAR, Dedé e pede representatividade de brasileiros na Conmebol

Paulo Fonseca/EFE
Imagem: Paulo Fonseca/EFE

Do UOL, em São Paulo

24/09/2018 23h52

Mano Menezes abriu o jogo nesta segunda-feira (24) e falou de assuntos que andam engasgando os torcedores cruzeirenses - e brasileiros, no geral. O técnico falou do VAR, da expulsão de Dedé em Buenos Aires e da pressão sobre árbitros pouco conhecidos, além de pedir os clubes nacionais melhor representados na Conmebol.

"Temos de ter mais representatividade, não tenho dúvida. Na hora da decisão, sendo ouvido diretamente por alguém que representa o futebol brasileiro, as coisas são decididas de outra maneira. Quando você não tem ninguém, são decididas de outra forma", opina em entrevista ao canal Fox Sports. Ele se refere a decisões controversas envolvendo equipes brasileiras nas Copas Libertadores e Sul-Americana.

"Perdemos peso político nos últimos anos; muito das decisões tomadas têm peso político. Já foi pior: antes se perdia o jogo meio na marra. Com a televisão e novos procedimentos, a coisa ficou mais clara", pondera Mano Menezes, tratando a injusta expulsão de Dedé na Bombonera como 'um caso isolado'.

O zagueiro levou o cartão vermelho após chocar-se com o goleiro Andrada. Ao notar o jogador do Boca Juniors sangrando muito ao ser atendido, o árbitro Eber Aquino reviu tudo no VAR e tomou o lance como intencional, expulsando Dedé.

"Ninguém esperava a decisão que o árbitro tomou. Todo o mundo ficou sem saber como reagir, imaginando que poderia ter acontecido alguma coisa que ninguém viu. Depois é que a indignação foi aumentando, porque todos tiveram acesso ao lance e viram que a decisão do árbitro tinha sido absurda", lembra Mano Menezes.

Agora, o Cruzeiro tenta a anulação da suspensão para poder contar com Dedé no jogo de volta, no próximo dia 4. "Não é uma decisão tão fácil, mas vamos esperar que seja justa. É o que a gente sempre quer, a favor dos outros ou da gente. Faz bem ao futebol que a coisa seja assim", diz Mano Menezes, para quem o mau uso do VAR em Buenos Aires não prejudica a evolução da tecnologia no esporte.

"O VAR vai trazer muitas coisas boas para o futebol. Mas neste momento de implantação vão acontecer algumas coisas, como aconteceu no nosso jogo contra o Palmeiras", diz, lembrando de outra decisão de arbitragem discutível, esta na Copa do Brasil. "Algumas paradas e consultas eu acho demasiadas, mas vai chegar um ponto em que [o VAR] vai funcionar bem. Agora, quando o árbitro é bom, ninguém reclama. Ninguém levanta uma voz para reclamar quando o [Nestor] Pitana apita um jogo", compara, citando o árbitro da final da Copa do Mundo.

Ainda durante a participação no Fox Sports, Mano Menezes insinuou ter sido desrespeitado por José Maria Marin, ex-presidente da CBF, quando foi demitido do comando da seleção brasileira. Leia mais aqui.

Futebol