PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Tuchel elogia versatilidade de Neymar, mas ataca nível do PSG no Francês

Neymar em ação durante o jogo entre Liverpool e PSG - Julian Finney/Getty Images
Neymar em ação durante o jogo entre Liverpool e PSG Imagem: Julian Finney/Getty Images

João Henrique Marques

Do UOL, em Paris

22/09/2018 05h50

Após realizar mudanças de posicionamento com Neymar ao longo da temporada, o treinador do Paris Saint-Germain, Tomas Tuchel, elogiou a versatilidade do brasileiro e avisou que a alternativa será constante. O camisa 10 voltou a jogar pelo lado esquerdo do ataque na derrota para o Liverpool, por 3 a 2, pela Liga dos Campeões, mas carrega a tendência de ocupar a função de meia como principal armador do time, principalmente, em jogos do Campeonato Francês. A entrevista foi concedida na manhã deste sábado, véspera do duelo contra o Rennes, e foi finalizada com um forte ataque ao time com as recentes perfomances na competição - ironicamente, o PSG lidera a disputa com 100% de aproveitamento após 5 vitórias.

“É totalmente claro que ele pode jogar pela esquerda, ou no meio. São recursos que somente jogador desse porte pode conseguir”, avisou Tuchel 

“Vou decidir jogo a jogo a posição dele. Ele está em boa forma e contra o Liverpool expliquei que no início eu pensava que ele não teria espaço como 10, e por isso começou pela esquerda. Só que o Liverpool ataca muito pelas pontas e e mudamos durante o jogo”, complementou.

Colocar Neymar na função de um clássico camisa 10 já era trabalhado como alternativa de Tuchel no Francês para que o atacante evitasse confrontos de mano a mano e, consequentemente, sofresse menor número de faltas. Na competição, o efeito foi claro com a média de 5,2 faltas recebidas por jogo na temporada passada despencando para 1,5 na atual edição.

Na competição, Neymar participou de 4 dos 5 jogos do PSG, e marcou 4 gols.

Tuchel fala forte em coletiva

O alemão não gostou de ouvir pergunta sobre necessidade de mudança após a derrota para o Liverpool, mas acabou criticando a equipe por recentes performances de baixo nível no Campeonato Francês. De maneira enérgica, o treinador trocou o curto vocabulário francês pelo inglês, língua que é fluente, e falou até um palavrão.

"Mudar, qual o sentido disso? Não entendo a pergunta. Se o jogo tivesse terminado antes, com o 2 a 2, todos não falariam de mudanças. Mas eu não me importo com o ganhar e o perder. Agora vamos jogar o Campeonato Francês em que todos acham que precisamos ganhar todos os jogos, só que não vou considerar isso. Eu quero dar o melhor. Se fizermos merda, mesmo que ganhemos, entendo que merecemos ser criticados ", disse Tuchel.

Futebol