PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Palmeiras pretende repetir estratégia e renovar contratos no fim do ano

Marcos Rocha, do Palmeiras, no jogo contra o Atlético-MG - REUTERS/Paulo Whitaker
Marcos Rocha, do Palmeiras, no jogo contra o Atlético-MG Imagem: REUTERS/Paulo Whitaker

Danilo Lavieri

Do UOL, em São Paulo

22/09/2018 04h00

O Palmeiras deve repetir a estratégia adotada no ano passado e deixará para resolver o futuro dos atletas que têm contrato próximo do seu término apenas no fim do ano.

Marcos Rocha, Mayke, Fernando Prass e Jailson são exemplos de jogadores que têm vínculo com o Alviverde apenas até dezembro desta temporada e só devem sentar à mesa com a diretoria perto dos últimos jogos de 2018.

Os dois primeiros, inclusive, estão atuando com a camisa alviverde por empréstimo e têm, em contrato, um valor fixado para a compra de seus direitos em definitivo. Ao menos por enquanto, o Palmeiras diz ter total interesse em manter a dupla.

Fernando Prass, por sua vez, viverá a mesma experiência que teve em 2017. Nesta última vez, ele assinou seu vínculo de mais um ano apenas no dia 2 de dezembro. A diferença é que o goleiro quase não entrou em campo: aos 40 anos, ele jogou apenas cinco vezes, contra 58 em 2017.

Jailson, seu concorrente de posição, vive situação inversa: foram 34 partidas nesta temporada contra apenas oito em 2017. Todos eles já teriam condições legais de assinar um pré-contrato com outra equipe, mas precisariam notificar o Alviverde da negociação, o que ainda não aconteceu. O que dá segurança à diretoria palmeirense é que os atletas manifestaram a vontade de continuar.

Futebol