PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Irmãs de 102 e 98 anos vão a jogos desde os 12 e gostavam do City 'pobre'

Vera, 102 anos, e Olga, 98, entram em campo com os jogadores do Manchester City - Divulgação/Manchester City
Vera, 102 anos, e Olga, 98, entram em campo com os jogadores do Manchester City Imagem: Divulgação/Manchester City

Do UOL, em São Paulo

21/09/2018 04h00

Duas irmãs são especiais para o Manchester City e sua torcida. O motivo? Elas vão a jogos do time há mais de 80 anos. Vera Cohen, de 102 anos, e Olga Halon, de 98, são uma espécie de "patrimônio" dos citizens. Nos últimos três anos ganharam diferentes homenagens. Vera, a mais velha, mostra empolgação com todas elas, mas também não esconde que gostava dos tempos em que o futebol era visto, segundo ela, menos como negócio e mais como uma paixão.

Nem o fato de o City ser um dos clubes mais poderosos do futebol inglês atualmente abala o olhar dessa torcedora de 102 anos. "O futebol é muito voltado para o dinheiro hoje. Agora o City está bem e tem um dono rico, mas eu curti o futebol tanto ou mais quando não tínhamos dinheiro", opinou Vera, no ano passado.

O Manchester City foi comprado em 2007 pelo ex-primeiro-ministro da Tailândia, Thaksin Shinawatra, que um ano depois o vendeu ao xeque Mansour bin Zayed Al Nahyan, movimento que fez do clube um dos mais ricos do mundo.

Torcedoras Vera Cohen e Olga Halon recebem a visita de Vincent Kompany - Divulgação/Manchester City - Divulgação/Manchester City
Kompany fez visita surpresa às irmãs Vera e Olga na temporada passada
Imagem: Divulgação/Manchester City

Isso não quer dizer que ela tem críticas à atual diretoria. Pelo contrário. O City faz questão de oferecer experiências diferentes à torcedora-símbolo. Quando Vera completou 100 anos, ganhou uma camisa com esse número, autógrafos de todos os jogadores e um almoço comemorativo. "Eles são muito carinhosos comigo. Não tenho nem como agradecer".

No ano passado, a homenagem veio em forma de surpresa. O zagueiro Vincent Kompany foi até a casa de Vera Cohen, na época com 101 anos. Olga também estava. A visita fazia parte de uma ação do City para agradecer aos torcedores pelo empenho com o clube.

"Foi a grande surpresa de nossas vidas. Ele me deu um beijo grande. É um cavalheiro", disse Vera na oportunidade, ganhando ainda de Kompany um bolo e um buquê de flores.

No último sábado, foi a vez de Vera e Olga irem até os jogadores. Elas foram convidadas a entrar com o time no gramado para o jogo diante do Fulham. Olga subiu ao campo de mãos dadas com o brasileiro Fernandinho, enquanto Vera foi acompanhada por David Silva. As duas ainda abraçaram Pep Guardiola antes do jogo e conversaram com o treinador depois da vitória por 3 a 0.

"Agradeci Pep por tudo que ele fez pelo nosso time. Ele é incrível. Tem alguma coisa nele que consegue tirar o melhor de cada jogador. Espero que ele fique aqui para sempre", declarou a torcedora de 102 anos, frequentadora dos jogos do City desde a década de 1920. Considerando o número de técnicos que Vera viu à frente da equipe, Guardiola pode se sentir prestigiado.

Futebol