PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Ainda sem saber se fica, Menino da Vila supera vaias e 'renasce' com Cuca

Robson Alves foi titular do Santos nas últimas quatro partidas - Marcello Zambrana/AGIF
Robson Alves foi titular do Santos nas últimas quatro partidas Imagem: Marcello Zambrana/AGIF

Do UOL, em Santos (SP)

19/09/2018 04h00

Titular do Santos nos últimos quatro jogos e utilizado por Cuca nos últimos seis, Robson Alves mal iniciou sua carreira no profissional e já entrou para a história do clube ao fazer parte do time que mais jogos ficou sem levar gols – são oito até aqui. Ao mesmo tempo, porém, a passagem do zagueiro de 20 anos pela Vila Belmiro pode chegar ao fim antes mesmo do fim deste ano.

Robson Alves, que era conhecido como "Bambu" mas pediu para ser chamado pelo sobrenome, tem contrato com o Santos até o dia 10 de novembro. A negociação pela renovação se arrasta desde julho de 2017, mas ainda não caminha para um acerto.

Na última terça (18), o grupo que administra a carreira de Robson Alves soltou um comunicado para a imprensa informando que só recebeu uma proposta oficial do Santos no início desse mês e que as conversas pela renovação foram iniciadas ainda em 2017, pela própria empresa.

“A Magnitude nega que tenha formalizado qualquer valor com a diretoria do Santos Futebol Clube referente à renovação do contrato do atleta Robson Bambu. Em julho de 2017, por iniciativa da Magnitude, foram iniciadas conversas em busca da prorrogação do vínculo de trabalho do jogador. De lá para cá, o assunto foi tratado com oito interlocutores diferentes (desde o departamento de futebol até a presidência). A proposta oficial, muito aquém das expectativas do atleta, foi formalizada apenas no dia 3 de setembro de 2018, a dois meses do término do contrato”, divulgou o grupo.

Também na última terça (18), o presidente José Carlos Peres comentou sobre o tema durante a coletiva em que anunciou Renato como novo executivo de futebol. De acordo com o mandatário, os números pedidos pelos empresários são elevados, mas as conversas continuam.

“Conversamos com o empresário dele, estamos conversando desde fevereiro ou março, houve incompatibilidade financeira. Voltamos a conversar agora novamente. Não foi por falta de conversa. É um pouquinho de realidade, os números são elevados hoje, e o atleta tem que entender que há uma progressão e tem que ter meritocracia. É interessante para o clube pagar bem, até pelo caso da multa fora da realidade de qualquer clube, mas estamos mais uma vez conversando”, afirmou.

Com o impasse, o Santos pode perder o prata da casa de graça, uma vez que, com contrato só até 10 de novembro, o jogador já está liberado para assinar contrato com qualquer outro clube.

O impasse fez até Cuca se manifestar publicamente durante entrevista coletiva pós-clássico, no último domingo (16), pedindo para que houvesse um acordo entre as partes para a permanência do jovem zagueiro.

“O Bambu é um menino que estava ali, vi o potencial nos treinos e a gente está muito contente, mas vamos ter que conversar de perto logo, logo. Finda o contrato no fim do ano e a gente quer que ele fique, aqui é a casa dele, e ele tem que valorizar o clube que o fez, é até um recado para o empresário dele. Pode ser prejudicado e não jogar mais. Tem que valorizar o que foi feito aqui, passado é passado, agora estamos procurando e vamos conversar de perto”, declarou Cuca.

“Não pode acontecer, chegar num estágio desse, faltar dois meses e não ter renovado. Tem que medir tudo. Vale a pena ficar colocando um jogador que daqui a dois meses não é mais seu? Tem que ter um ajuste e ser bom para todo mundo. Vamos fazer ficar bom para todos”, disse.

Robson ‘renasce’ com Cuca

Prestes a ser escalado mais uma vez como titular no jogo de domingo, contra o Cruzeiro, Robson Alves está em alta com Cuca, mas a redenção veio depois de alguns momentos complicados sob o comando de Jair Ventura, técnico com quem estreou pelos profissionais ainda em janeiro.

Ainda conhecido como Robson Bambu, o zagueiro de 20 anos estreou já atuando como titular, contra o Ituano, pelo Campeonato Paulista. Mas não foi bem. Deu azar e o gol do time de Itu saiu após bola que bateu nele e foi para as redes – o jogo terminou empatado por 1 a 1.

No jogo seguinte, contra o Palmeiras, Robson entrou no fim do primeiro tempo na vaga de Luiz Felipe, que saiu machucado. O jogo estava 1 a 0 para o time alviverde e, logo no início da etapa final, minutos após a entrada do zagueiro, Borja ampliou – o Palmeiras venceu por 2 a 1.

Depois disso, foram quase 40 dias sem ser utilizado por Jair Ventura até o jogo contra o São Bento, em que foi utilizado como lateral direito improvisado. Não foi bem, cometeu um pênalti que resultou no primeiro gol da vitória por 3 a 1 do time do interior e foi vaiado pela torcida.

Mas a história mudou após a chegada de Cuca. Completamente. Contra o Bahia, há quase um mês, Robson substituiu Gustavo Henrique (que saiu após cortar o supercílio) ainda na etapa inicial. No jogo seguinte, contra o Independiente, pela Libertadores, ganhou a vaga de Lucas Veríssimo, que sentiu uma lesão na coxa no segundo tempo. E desde então, não saiu mais.

Robson Alves foi titular nos quatro jogos seguintes, contra Vasco, Grêmio Paraná e São Paulo, e ainda não viu Vanderlei ser vazado desde que voltou ao time com o técnico Cuca. E caso não ocorra nenhuma reviravolta em sua renovação, o zagueiro também é presença certa no time que enfrenta o Cruzeiro, domingo (23), uma vez que Gustavo Henrique está suspenso. Recuperado, Lucas Veríssimo deve ser dupla de Robson. Luiz Felipe corre por fora.

Futebol