Topo

Futebol


"Sou cidadão e não falo só de futebol", diz Lucas sobre apoio a Bolsonaro

Caio Carrieri/Colaboração para o UOL
Imagem: Caio Carrieri/Colaboração para o UOL

Caio Carrieri

Colaboração para o UOL, em Londres (ING)

15/09/2018 12h35

Lucas Moura citou a democracia, seus direitos como cidadão e a esperança por um Brasil melhor ao explicar por que resolveu apoiar publicamente Jair Bolsonaro (PSL) nas eleições presidenciais para a sucessão de Michel Temer (PMDB). Na última segunda-feira (10), ele defendeu o deputado federal em troca de mensagens com seguidores no Twitter, e o assunto ganhou enormes proporções nas redes sociais.

“Infelizmente eu já imaginava que teria uma repercussão exagerada, com mais atenção do que deveria por parte da mídia. Apenas quis me posicionar. Antes de ser um jogador de futebol, sou um cidadão e tenho direito de me preocupar com o que está acontecendo no meu país”, declarou neste sábado, após boa atuação individual, como titular, na derrota por 2 a 1 para o Liverpool, no Wembley, pela quinta rodada do Campeonato Inglês.

“Apenas respondi civilizadamente algumas questões que apareceram no meu Twitter, mas infelizmente algumas pessoas não sabem respeitar uma opinião diferente. Saber conviver com opiniões diferentes faz parte da democracia. Amo minha família e meus amigos de paixão, mas nem sempre concordo com eles”.

O impacto da atitude do atacante preocupou o Tottenham, que blindou o jogador e se negou a comentar o assunto. No entanto, Lucas, não hesitou em comentar o tema neste sábado. Ele disse que não se arrepende de se manifestar publicamente sobre as preferências políticas.

“(Faria de novo) Sem problema algum. Não sou especialista no assunto, posso conversar e debater até onde entendo, civilizadamente. Muitos atacam e nem respondi quem resolveu fazer isso, conversei com quem foi educado. Tenho preocupação de ter uma vida melhor no meu país para todo mundo”.

“Antes havia muitas questões no meu país e às vezes me sentia mal por sempre ficar em cima do muro ou ser omisso. Temos de respeitar quem quer e quem não quer se posicionar. Às vezes nossos fãs e torcedores querem saber a opinião dos seus ídolos. Com uma opinião diferente, podemos abrir a mente de alguém. Como pessoa pública, esse foi o meu objetivo. Não tenho que só falar de futebol. Sou brasileiro e tenho familiares e amigos no Brasil e também me preocupo com o meu país”.

Nesta terça-feira (18), Tottenham e Liverpool vão estrear na Liga dos Campeões. Os Spurs enfrentam a Inter de Milão, na Itália, na terça-feira, e os Reds recebem o Paris Saint-Germain, em Anfield.

Futebol