PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Futmesa deixa de ser só brincadeira e já é adotado em treinos dos clubes

Lucas Pastore*

Do UOL, em São Paulo

01/04/2018 04h00

O que começou em 2017 como proposta de entretenimento e possível modalidade esportiva tornou-se aliado de comissões técnicas de futebol em clubes profissionais. Trata-se do futmesa, jogo que já é utilizado como técnica para aquecimento e para treinos regenerativos.

Jogo que se popularizou principalmente nos últimos meses, o futmesa é uma espécie de mistura entre futebol, vôlei e tênis de mesa. É possível jogá-lo no um contra um ou em duplas. Após três toques na bola, é necessário colocá-la na metade oposta da mesa.

No Corinthians, a atividade já é utilizada em treinos regenerativos. O mesmo acontece no Internacional, que também utiliza o jogo para o aquecimento de seu elenco. Há uma mesa também no São Paulo, para recreação pré e pós-treino.

Andrés D'Alessandro, do Internacional, jogando futmesa no Beira-Rio - Divulgação - Divulgação
Andrés D'Alessandro, do Internacional, jogando futmesa no Beira-Rio
Imagem: Divulgação

O sucesso do jogo no Brasil aconteceu no ano seguinte ao seu lançamento oficial no país. Inspirados em vídeo de Neymar, que aparecia praticando algo semelhante, os sócios Flávio Deleo e Juliano Alvizi, que também são proprietários de uma franquia de loja do Corinthians, decidiram abrir a empresa Futmesa Brasil.

A ideia original era criar uma liga brasileira da modalidade. No entanto, o grande número de pedidos de mesa fez com que a dupla mudasse o foco do negócio e passasse a comercializá-la. O triunfo em relação às versões europeias é um corte que torna o jogo mais simples para amadores.

"Tem uns cortes na mesa, umas entradas. Na hora de cabecear, fica mais perto da mesa. Com isso, Neymar pediu a mesa, levamos para ele em Mangaratiba no Natal. Levamos também para o Thiago Silva. A ideia era criar o esporte, mas tivemos uma demanda muito grande de mesas. Fizemos uma versão menor que a profissional e tivemos um custo muito alto. Agora, vamos começar a vender no mercado", contou Flávio, ao UOL Esporte.

O relacionamento dos sócios com o Corinthians por meio da franquia da loja Todo Poderoso Timão ajudou com que o clube fosse um dos primeiros a receber uma mesa. Além disso, a amizade de Juliano com Edu Gaspar fez com que o futmesa já chegasse também à seleção brasileira.

Mesa de futmesa no CT da seleção brasileira em Teresópolis - Divulgação - Divulgação
Mesa de futmesa no CT da seleção brasileira em Teresópolis
Imagem: Divulgação

No centro de treinamento da Confederação Brasileira de Futebol na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), já há uma mesa, utilizada a princípio para recreação dos atletas. Além disso, Flávio e Juliano foram convidados pela Nike e fizeram parte do evento de lançamento do uniforme de 2018 da seleção, realizado no último domingo (25), em São Paulo (SP). Tudo isso no ano seguinte à fundação da empresa.

"Nosso projeto inicial já tinha incluído tudo isso, mas não esperava tudo tão rapidamente, principalmente na seleção. Meu sócio é amigo do Edu, que deu uma moral, e os jogadores ajudaram muito também", declarou Flávio.

O relacionamento dos sócios colabora para o sucesso do negócio. Flávio e Juliano se conhecem desde os 13 anos de idade. Os dois fazem tudo juntos desde então – até tirar o RG. A diferença entre o número dos documentos dos dois está apenas no último dígito.

O entrosamento também é mostrado na beira da mesa, já que os dois praticam o jogo que ajudam a popularizar no Brasil.

"A gente joga também. Ele é melhor no jiu-jitsu (risos). Mas o pessoal quer jogar tanto nos eventos que a gente deixa, acaba nem jogando, mais ajuda, começa, explica as regras", contou Flávio, referindo-se aos eventos que envolvem o jogo. 

* Colaboraram Bruno Grossi, Diego Salgado e Marinho Saldanha

Futebol