PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Presidente diz que Santos perdeu "novo CT" da base para concorrente

Santos resolveu comprar novo CT após se deparar com abandono do CT Meninos da Vila - Ricardo Nogueira/Folhapress
Santos resolveu comprar novo CT após se deparar com abandono do CT Meninos da Vila Imagem: Ricardo Nogueira/Folhapress

Samir Carvalho

Do UOL, em Santos (SP)

27/03/2018 07h50

O Santos ficou sem o novo CT para as categorias de base na vizinha cidade de São Vicente-SP. O presidente do clube, José Carlos Peres, revelou que a proposta de compra do clube paulista de R$ 43 milhões parcelados foi rejeitada. A AFC, associação sem fins lucrativos que atende funcionários da Usiminas, vendeu o local para uma empresa de logística por R$ 40 milhões à vista.

A ideia do Santos era pagar R$ 20 milhões à vista e o restante parcelado em três anos, mas a associação da Usiminas preferiu vender para a TRX.

“Santos não colocaria um centavo. Queríamos trazer prato pronto para aprovação (do Conselho), mas já foi vendido por R$ 40 milhões à vista. Nossa oferta era de R$ 20 milhões de sinal por uma empresa, com empreendimento lá, um shopping, e isso que aconteceu. E agora não terá negócio”, disse Peres, em reunião do Conselho Deliberativo.

A diretoria santista pretendia transferir a categoria de base e o futebol feminino para o local, pois a área tem cerca de 280 mil m². O CT Meninos da Vila e o Rei Pelé, por exemplo, possuem entre 30 mil e 40 mil metros quadrados.

Nem a proposta de expor sua marca no uniforme santista convenceu a Usiminas. O Santos ainda propôs outras parcerias: como utilizar os aços da empresa nas construções do clube, incluindo o novo CT, lojas, naming rights e backdrops e até peneiras para filhos de associados da AFC.

A ideia surgiu entre os dirigentes santistas após o presidente José Carlos Peres encontrar o CT Meninos da Vila abandonado, como revelou o UOL. Até galinheiro havia no local.

Com o problema exposto no CT Meninos da Vila, a diretoria do Santos entende que as categorias de base precisam de investimentos e estruturas melhores, pois dão fruto para o clube dentro e fora de campo. Segundo eles, são R$ 100 milhões de receita por ano com venda de atletas e recebíveis por ser clube formador (mecanismo de solidariedade da Fifa), e “apenas” R$ 15 milhões de investimento anual.

Futebol