PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Ricardo Oliveira aguenta correria e mostra que pode encaixar no "novo Galo"

Atacante mostrou boa mobilidade na estreia junto com versão 2018 do ataque atleticano - Bruno Cantini/Atlético-MG
Atacante mostrou boa mobilidade na estreia junto com versão 2018 do ataque atleticano Imagem: Bruno Cantini/Atlético-MG

Enrico Bruno

Do UOL, em Belo Horizonte

23/01/2018 04h00

As primeiras exibições do time titular do Atlético-MG em 2018 deixaram claro uma característica que será a marca da equipe neste ano: a velocidade. No ataque, as saídas de Robinho e Fred deram lugar a substitutos mais móveis, e isso inclui o centroavante Ricardo Oliveira. Mesmo aos 37 anos, o atacante deu conta de acompanhar a correria dos mais novos, mostrou um bom cartão de visita e deu sinais que pode se dar bem com a versão 2018 do Galo.

O setor ofensivo ideal do Atlético neste início de ano está formado com Cazares, na faixa central do gramado, Otero, pelo lado esquerdo, Róger Guedes, caindo pelo flanco direito, e Ricardo Oliveira como referência na grande área. Do quarteto, o ex-santista talvez tenha sido o que menos se destacou no jogo contra o Democrata, o que não significa um desempenho ruim, já que os outros três tiveram boas atuações.

Bastante móvel, Ricardo saiu com frequência da área e participou da construção de jogadas rápidas da equipe. Em alguns momentos do jogo, foi possível percebê-lo pedindo a bola entre os zagueiros adversários para apostar na velocidade e sair na cara do gol. No segundo tempo, caiu de rendimento com o restante do grupo.

"Estava falando com eles, eu gosto de movimentar bastante, principalmente com os meias, Cazares, Otero e Elias... A gente tem de ir com calma, mas vamos fazer grandes jogos e gols. É um time bem veloz, bastante agudo", disse.

A melhor chance de Ricardo Oliveira no jogo saiu ainda no primeiro tempo. Após o cruzamento rasteiro de Samuel Xavier, outro estreante, o veterano passou um pouco da linha da bola e ainda conseguiu um leve desvio, mas não o suficiente para terminar dentro das redes. Também na etapa inicial, o atacante caiu pelo lado esquerdo e participou da rápida transição da defesa para o ataque, esticando a bola para Róger Guedes, que ainda passou por Otero, Cazares e terminou no segundo gol de Elias no jogo.

"O sentimento é de alegria pela minha participação na criação das jogadas, pelo time também, um time que valorizou bastante a bola, fez algumas combinações pelos lados. Eu também caí pelos lados do campo, revezei com os jogadores. No geral, minha participação foi muito boa".

De acordo com a estratégia de Oswaldo de Oliveira, o time titular do Atlético deverá folgar neste meio de semana, na partida contra o Villa Nova. A tendência é de que Ricardo Oliveira e companhia estejam novamente em campo na quarta rodada, domingo que vem contra o Patrocinense, no Horto.

Esporte