PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Devendo futebol e sem chance no Inter, Valdívia quer permanecer no Atlético

Quem quer? "Poko Pika" está emprestado, mas não sabe se ficará no Galo  - André Yanckous/AGIF
Quem quer? 'Poko Pika' está emprestado, mas não sabe se ficará no Galo Imagem: André Yanckous/AGIF

Enrico Bruno e Marinho Saldanha

Do UOL, em Belo Horizonte (MG) e em Porto Alegre (RS)

20/12/2017 04h00

Emprestado pelo Internacional por um ano, Valdívia tem cerca de cinco meses para convencer a nova diretoria do Atlético-MG de que merece ficar mais tempo no clube. O atual vínculo com o Galo é válido até maio do ano que vem, mas o meia não tem seu futuro definido sequer para o início da próxima temporada. Com possibilidade remota de voltar à sua ex-equipe, o jogador reconhece que não mostrou um bom futebol, mas pede uma nova chance e faz planos para tentar estender seu empréstimo pelo menos até o fim de 2018.

Em seis meses de Atlético, o sentimento do meia é de que ficou devendo. Titular apenas depois da chegada de Oswaldo de Oliveira, Valdívia mesclou bons e maus momentos, mas nunca chegou a cair de vez nas graças da torcida. A autoavaliação é sincera.

“O sentimento não é de dever cumprido. Posso jogar mais, às vezes as coisas não acontecem como queremos. A gente trabalha forte para dar certo, mas às vezes não dá, acontece. Não posso dizer que o dever foi cumprido, eu poderia ter feito mais. Estava acostumado a fazer gols e aqui não balancei as redes muitas vezes. Espero que 2018 seja o meu ano aqui, de muita felicidade para poder ajudar mais o Galo”, comentou o meia, que marcou apenas dois gols em 31 jogos com a camisa alvinegra.

"Quero mostrar mais, o Galo confiou em mim, fico feliz por isso. Meu contrato vai até maio, mas, se depender de mim, pode ir até o fim do ano. Não depende só de mim, vamos esperar o que irá acontecer", completou.

Valdívia também não anda com prestígio no Internacional. A imagem do jogador com a torcida ficou bastante abalada nos últimos tempos, primeiro por uma suposta negativa a jogar a Série B por conta da desvalorização que teria. Depois, pela declaração que torceria para o Grêmio na final da Libertadores. Tudo pesou e arranhou ainda mais a relação com os aficionados, que já não era boa depois do rebaixamento de 2016.

Desta forma, caso volte ao clube ao fim do vínculo com Atlético-MG, o 'Poko Pika' será repassado a outra equipe por empréstimo ou mesmo envolvido em negociação de forma definitiva. O mercado, aliás, é o único peso dele atualmente no clube. A direção do Inter vê Valdívia como um jogador valioso aos olhos dos demais clubes brasileiros. Até porque ouve, a cada negociação iniciada atrás de reforços, pedidos pelo empréstimo dele.

Recentemente, Valdívia chegou a ser citado por Fluminense e Botafogo nas negociações de Wellington Silva e Bruno Silva, respectivamente. O feedback do mercado, portanto, coloca o cabeludo com boas perspectivas fora do Inter.

O vínculo do jogador no Beira-Rio é até 2020 e a rejeição no Sul facilitariam um novo acordo com Atlético-MG. A partir de agora, seu futuro dependerá também das movimentações que surgirem paralelamente. Se o Inter perceber a possibilidade de reforçar o time usando Valdívia como moeda de troca, esta situação certamente será mais interessante.

Futebol