PUBLICIDADE
Topo

Futebol

Jogo de D'Ale tem árbitro de vídeo, uruguaios inspirados e falta de Zico

Lance de Craque, evento promovido por D"Alessandro no Beira-Rio neste sábado - Ricardo Duarte/Divulgação
Lance de Craque, evento promovido por D'Alessandro no Beira-Rio neste sábado Imagem: Ricardo Duarte/Divulgação

Marinho Saldanha

Do UOL, em Porto Alegre

16/12/2017 21h52

O objetivo era ajudar quem precisa e divertir a plateia. Ambos totalmente atingidos na quarta edição do Lance de Craque, jogo beneficente organizado pelo meia D'Alessandro no Beira-Rio. Neste sábado (16), Solidariedade e Esperança estiveram em lados opostos. E o placar foi o menos importante dada série de atrações no gramados. Mas não esquecemos dele: foi 10 a 6 para o Esperança. 

Um Cristiano, dois Cristianos, três Cristianos

Cristianos Ronaldos pintaram a volta do Beira-Rio antes do jogo - Marinho Saldanha/UOL - Marinho Saldanha/UOL
Imagem: Marinho Saldanha/UOL

O primeiro começou antes mesmo da bola rolar. Foi Cristiano Ronaldo. Não, o craque do Real Madrid não esteve presente, mas foi campeão do Mundial de Clubes contra o Grêmio minutos mais cedo, em Abu-Dhabi. E suas camisas rodearam o estádio do Inter. Quando da entrada das equipes em campo, além dos gritos pelos que jogariam, ecoava na casa vermelha os gritos pelo camisa 7 português.

D'Alessandro, organizador do evento, com microfone nas mãos agradeceu a todos. Até brincou com os árbitros. "Pela primeira vez na minha carreira cumprimento muito bem a arbitragem", disse sorrindo.

Calvo, gordinho, mas com muito futebol

De um lado e de outro, ex-jogadores, estrelas, e muito futebol. Destacou-se um calvo, gordinho, mas que em outros tempos muitos gols fez. Alvaro Recoba. Aos 41 anos ele mostrou que qualidade não falta, mesmo que a mobilidade não seja a mesma das épocas de seleção uruguaia e Inter de Milão. Tratou logo de encobrir o goleiro Renan, de fora da área, fazendo um golaço para abrir os serviços. Minutos depois, a canhota conhecida pela potência pareceu ainda em forma na pancada que também acabou nas redes.

Árbitro de vídeo no Lance de Craque

Anderson Daronco consulta árbitro de vídeo em jogo festivo de D'Alessandro - Marinho Saldanha/UOL - Marinho Saldanha/UOL
Imagem: Marinho Saldanha/UOL

Seu time, o Esperança, vencia tranquilamente. Até o quarto gol, que por pouco não foi invalidado. Anderson Daronco chamou o árbitro de vídeo. Sinalizou e apontou para fora do campo. Ali estava Sálvio Spíndola, ex-árbitro e atualmente comentarista da ESPN, que trabalhava na partida e na rede de televisão ao mesmo tempo. Sálvio confirmou o gol de Zé, mas não sem antes aqueles instantes tensos de incerteza.

E no segundo tempo, mais um lance do VAR. Paloma, do time feminino do Inter, fez o gol. Mas estava impedida e o lance foi invalidado. 

Zico chamado para bater falta

Zico e Luxembirgo trocam camisas em cobrança de falta que o ex-camisa 10 quase marcou - Marinho Saldanha/UOL - Marinho Saldanha/UOL
Imagem: Marinho Saldanha/UOL

Em seguida, mais um momento inusitado. Falta na entrada da área para o Esperança, cujo técnico era Vanderlei Luxemburgo. Sálvio chamou e da platéia vieram os gritos para Zico. "Zico, Zico, Zico", pediam os torcedores. O ex-camisa 10 do Flamengo, de calça jeans e sapato, aceitou o desafio. Caminhava no campo quando Luxa o interrompeu. Tirou e camisa e trocou com ele. Para que o Galinho ficasse com a camisa do time certo. Na batida, a conhecida qualidade. Por centímetros que o ângulo de Renan não foi encontrado. Para fora, mas comemoração de gol.

Ídolo de D'Ale faz golaço

No segundo tempo o jogo ficou menos 'futebol' e mais 'festa'. Entraram atletas cujo esporte não é exatamente a bola. Vanderlei Silva e Fabiano Boxer das lutas. Dilsinho, músico. E mais ex do que atuais jogadores. Só que isso não tirou em nada a beleza do espetáculo. Pelo menos quando a bola caiu nos pés do uruguaio Ruben Paz. Colocado, no ângulo de Matheus Cavichioli, ele honrou a condição de ídolo da infância de D'Alessandro. 
 

Até o final, gritos pelo Real Madrid

Até o final do jogo, quando o silêncio vinha... "Madrid" se ouvia. O grito característico da torcida do Real Madrid acompanhou os presentes até o fim do jogo. Tudo por conta da derrota do Grêmio no Mundial de Clubes, mais cedo. 

Futebol